Melhore a sua vida familiar

Estratégias e conselhos que facilitam o seu papel de educador

Estimule o convívio familiar a partir do início da manhã, aproveitando a refeição matinal para conversar com os seus filhos sobre o que os espera na escola.

Comece bem o dia com um pequeno-almoço completo, reunindo toda a família.

 

Esta refeição deve incluir com leite ou iogurte magro, cereais ou pão integral com queijo ou doce e fruta. E termine-o também da melhor forma, bebendo um copo de leite morno antes de se deitar, seguindo o exemplo das suas crianças. Estudos revelam que o cálcio ajuda a reduzir os espasmos musculares e a aliviar a tensão.

Faça uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, fruta e cereais integrais. Aposte nos nutrientes que ajudam a regular os níveis de cortisol e adrenalina (hormonas do stress), como por exemplo vitamina C, magnésio, ácidos gordos ómega 3 ou hidratos de carbono complexos. Explique às suas crianças a importância de uma alimentação saudável. Se o seu filho não gosta de legumes, mude de tática, fazendo por exemplo uma pizza party.

Deixe-o fazer a massa, escolher os ingredientes e dar um nome à sua pizza original. Aposte nas cores dos vegetais para torná-las divertidas e saudáveis. Verá como ele comerá com outro apetite. Nos momentos de maior stress, medite. Esta prática ancestral ajuda a aliviar o stress, favorece o sistema imunitário e ativa zonas do cérebro associadas a emoções positivas, mais do que necessárias depois de descobrir que o seu filho acaba de fazer (mais) uma asneira.

Escolha um local calmo e uma posição confortável. Feche os olhos e concentre-se numa palavra ou no ritmo da sua respiração. Inspire e expire suavemente durante dez minutos. Depois de se acalmar, não perca tempo a dizer pela milésima vez ao seu filho para arrumar o quarto. Motive-o a fazê-lo. Crie uma tabela com os dias da semana e atribua um autocolante, por mérito, cada vez que ele cumpre o objetivo. Após dez autocolantes dê-lhe uma recompensa. Verá que a motivação compensa!

Apesar de o compensar quando ele merecer, ensine-lhe o valor do dinheiro. Poupar é a palavra-chave nos tempos que correm. «É muito importante ter algum dinheiro de parte que lhe permita, pelo menos, passar três meses sem trabalhar, mantendo a média das suas despesas», aconselha o especialista em assuntos económicos Pedro Queiroga Carrilho.

Comentários