Educação dos 10 aos 15 anos

Viva esta fase de metamorfose sem sobressaltos

Hoje em dia as crianças fazem tudo mais cedo. Crescem quase sem se dar por isso e, de repente, estamos a lidar com
pré-adolescentes opinativos e reivindicativos.

 

As novas tecnologias e o fenómeno das redes sociais também vieram desviar a atenção dos assuntos relacionados com a escola.

 

Saiba como pode ajudar o seu filho a vivenciar este período, seguindo os conselhos da pediatra Helena Fonseca, chefe de serviço no Departamento de Criança e da Família do Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Adolescentes saudáveis

A pré-puberdade situa-se entre os 10 e os 13 anos, tendo a adolescência início nesta idade e prolongando-se até à maioridade. Nesta fase, é importante que o seu filho realize uma consulta anual.

De acordo com Helena Fonseca, pediatra especialista em adolescência, «trata-se de um check up que envolve a saúde oral, a visão, a audição, a postura, a pressão arterial, questões ligadas ao desenvolvimento pubertário, apostando-se na prevenção ao fazer-se a avaliação biológica, psicológica e social integradas do adolescente.

Deve também ser realizado uma vez, durante a adolescência, um perfil lipídico e um hemograma. A avaliação do peso, da estatura e do índice de massa corporal devem ser feitos pelo menos uma vez por ano», de forma a detetar situações extremas de magreza e o excesso de peso, antes que se chegue à obesidade.

Imagem corporal

O adolescente tem de lidar com um corpo em mutação, o que pode ser fonte de equívocos. «No caso da rapariga, o facto de haver um aumento da percentagem de gordura corporal com uma distribuição em zonas tipicamente femininas pode conduzir a perceções desajustadas da imagem corporal e fazer com que, por exemplo, a adolescente se sinta gorda sem o ser», exemplifica Helena Fonseca.

«É importante que se crie a oportunidade de esclarecer estas dúvidas com um profissional de saúde», sublinha ainda. Caso o seu filho se queixe da acne não pense que é uma mania de adolescente. Esta doença cutânea afeta a autoconfiança, prejudica a socialização e pode deixar marcas.

Comentários