Idosos estão a ajudar jovens a evitar comportamentos de risco

A Associação Criança e Vida (CEV), do Porto, monitoriza dois projetos-piloto para evitar que os jovens entrem na criminalidade e para que sejam ajudados por idosos na socialização, disse à Lusa a presidente da instituição.
créditos: Pixabay

Segundo Teresa Tomé Ribeiro, os dois projetos, um de promoção e desenvolvimento saudável e outro de prevenção de riscos nasceram em 2016 e vão estender-se até 2018. “Esta é a forma de a CEV, continuando a ser reativa, ser também proativa, dando às pessoas a hipótese de identificar possibilidades que podem mudar a sua vida”, explicou.

Situada na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé Miragaia, São Nicolau e Vitória, a CEV levou a cabo, segundo a sua responsável, uma avaliação do quadro social daquela zona. Durante esse trabalho "identificou problemas de inserção social de pessoas sem projetos profissionais e educativos, de consumo de drogas e pequena criminalidade", disse a fonte.

"Percebemos também que a população jovem desta área conhecia muito pouco do Porto. Não ia para além da Avenida dos Aliados e da Ribeira e, por exemplo, nunca tinha ido às praias da costa marítima ou ao outro lado da cidade", revelou a responsável, justificando assim os projetos desenvolvidos para o escalão infantojuvenil.

Cativar jovens adolescentes

Dividido em dois grupos, o projeto de promoção e desenvolvimento saudável, "abrange 30 jovens entre os seis e 12 anos, e entre 10 e 12 com idades entre os 12 e 16 anos" que frequentam a instituição regime de Atividades de Tempos Livres (ATL).

Com a colaboração de vários voluntários ligados às artes, os jovens são convidados a participar em atividades de arte urbana e musical, num envolvimento que, contou Teresa Tomé Ribeiro, "levou a que os jovens propusessem também a dança e a expressão dramática". "O que me interessa é que este projeto evite que os miúdos venham um dia a cair nas ruas, mas também tirá-lo do sofá, cativando-os para serem pessoas mais empreendedoras e a escolherem, no secundário, áreas que com futuro", disse.

Comentários