Pais de alunos de colégio em Viseu pedem devolução de três turmas

Uma centena de pais e encarregados de educação dos alunos do Colégio da Via-Sacra, de Viseu, concentrou-se hoje em protesto pela retirada de financiamento a três turmas, no âmbito do concurso para a celebração de contratos de associação.
créditos: LUSA

Apesar da chuva, os pais e encarregados de educação mantiveram-se na entrada do estabelecimento de ensino privado, onde foi colocada uma faixa amarela com a frase “Para nós, outro colégio não é opção”.

“Queremos apenas que reponham as nossas turmas, não queremos mais nenhuma do que aquelas a que temos direito. São três turmas, uma do 5.º ano e duas do 7.º, que nos retiraram no âmbito deste concurso, que já começou torto”, disse aos jornalistas a presidente da associação de pais, Isabel Sá.

O Colégio da Via-Sacra tinha, há mais de dez anos, 16 turmas do 5.º ao 9.º ano ao abrigo do contrato de associação com o Estado, que permite aos alunos frequentarem o ensino gratuitamente. Para o ano letivo que hoje começou, pretendia manter as 16 turmas, quatro das quais no 7.º ano e três em cada um dos restantes anos.

No entanto, no âmbito do concurso público para a celebração de contratos de associação, o Colégio da Via Sacra ficou com apenas duas turmas do 5.º ano e duas do 7.º ano e um outro estabelecimento de ensino particular da freguesia de Viseu, o Colégio da Imaculada Conceição, com duas turmas do 5.º ano e duas do 7.º ano.

Isabel Sá contou que todos os alunos que estavam matriculados estão a começar o ano letivo no Colégio da Via-Sacra, porque os pais e encarregados de educação acreditam no seu projeto educativo e na sua direção, com a qual estão solidários.

No entanto, e apesar de a providência cautelar apresentada pela direção ter sido admitida pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Viseu, não sabem se haverá condições para aí acabarem o ano letivo.

Comentários