Crianças aprendem chinês em Aveiro

A língua e a cultura chinesas estão a ser ensinadas a cerca de 60 crianças de um ATL em Aveiro, no âmbito de um projeto do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade local.

Testado com sucesso numa escola de São João da Madeira e agora transposto para crianças entre os seis e os dez anos que frequentam o ATL do Centro de Infância Arte e Qualidade (CIAQ), o ensino de Mandarim é feito por duas professoras, uma chinesa e outra portuguesa.

Em aulas semanais, os alunos aprendem, entre outras coisas, a ler, escrever e contar, bem como as formas de saudação, a identificação pessoal e os laços de parentesco naquela língua.

Ao todo, são 60 caracteres chineses que as crianças estão a aprender a desenhar e a perceber o seu significado, preparando-se desde já para o contacto com uma cultura milenar que, cada vez mais, se assume como presença global no futuro.

Segundo disse à Lusa Raquel Gomes, coordenadora do CIAQ, as crianças têm encarado com entusiasmo as aulas e demonstram uma grande capacidade de aprender uma língua que lhes era estranha.

O programa e a condução das aulas, tarefas realizadas por docentes do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro, foram adotados a partir do modelo que o mesmo departamento está a usar no projeto de ensino de chinês em São João da Madeira, iniciado em 2012 e reconhecido pelo Ministério da Educação.

Comentários