A importância do exercício físico e do sexo na hora do parto

Descubra os benefícios de cada um na hora de ter o bebé, de que forma também ajudar na fase da gravidez e quais os casos em que não os deve praticar

A gravidez não implica sedentarismo aliás as mulheres que praticam exercício físico e sexo durante a gravidez têm, geralmente, um trabalho de parto mais rápido, suportam melhor as dores das contrações e estão menos expostas à necessidade de intervenções, como fórceps ou cesariana. Para além disso, o exercício físico pode ser extremamente benéfico para um corpo em permanentes mudanças, ajudando a futura mãe a adaptar-se progressivamente ao seu corpo temporário, deixando-a bem-disposta e minimizando os desconfortos físicos associados à gestação. O sexo, além de obviamente ajudar na parte física do corpo, tem o seu papel dominante na parte psicológica, ajudando a mulher a manter a sua auto estima elevada e a manter o sentimento de ser mulher e não apenas mãe.

- Exercício físico

Vantagens do exercício físico:

- O desporto e a ginástica atuam fundamentalmente no sistema cardiovascular da grávida, permitindo uma melhor circulação sanguínea e oxigenação das células. Muitos exercícios, especialmente as posturas invertidas, ajudam ao retorno sanguíneo, irrigando partes importantes do corpo que ficam comprometidas pelas mudanças físicas que ocorrem na gravidez. O sangue leva o oxigénio a estas regiões, evitando a dormência dos membros superiores e inferiores, nomeadamente das mãos e dos pés, bem como as cãibras, as pernas pesadas e inchadas (edemas) e até mesmo a formação de varizes.

- A ginástica proporciona relaxamento sendo fundamental nesta fase da vida da mulher, que esta a ser submetida constantemente a situações naturais de stress e emoções fortes.

- Ao fazer exercício, a grávida vai adquirindo melhor perceção do seu corpo, compreendendo melhor as transformações que estão a ocorrer consigo. Consequentemente, irá se sentir muito mais segura e preparada para o parto.

- A ginástica ajuda a queimar calorias, o que permite controlar melhor o aumento de peso durante a gravidez.

- A prática regular de exercício físico proporciona uma menor frequência de obstipação. O corpo em movimento garante um melhor funcionamento dos intestinos.

- Aumenta a capacidade pulmonar da grávida e ajuda a controlar o ritmo da respiração.

- Permite uma melhoria no equilíbrio e na postura, contribuindo para o alívio da dor nas costas.

- Existem determinados exercícios que permitem o fortalecimento do assoalho pélvico, parte do corpo de vital importância durante a gravidez, pois sustenta todo o peso e é por onde vai passar o bebé. Os exercícios devem ser realizados antes e após o parto e podem evitar não só a incontinência urinaria, como os partos instrumentados ou cirúrgicos, lacerações do períneo ou mesmo a episiotomia.

- Determinadas posturas e a respiração diafragmática praticada nos exercícios trabalham a musculatura da parede abdominal. Depois do bebé nascer, isso vai ajudar a barriga a voltar ao lugar com mais facilidade.

- Os exercícios constantes dão uma maior flexibilidade ao corpo e contribuem para uma dose de energia extra. A boa forma física deverá ser uma meta que todas as grávidas deverão querer atingir.

Para escolher a modalidade a praticar, a grávida deverá guiar-se pelo que já fazia anteriormente. Se estiver habituada a fazer desporto regularmente, não há qualquer motivo para suspender a prática, exceto por indicação médica. Se o corpo estiver habituado à atividade física, pode até “queixar-se” da sua falta, pois priva a grávida de oxigenação, descontração e bem-estar geral que esta prática lhe proporcionava. A principal recomendação é a moderação do ritmo.

Por outro lado, se a grávida nunca fez ginástica, é uma boa altura para começar. Antes de iniciar, deverá aconselhar-se junto do médico obstetra, a fim de avaliar a sua condição física e colocar de lado a hipótese de se tratar duma gravidez de risco.

O ideal é a grávida exercitar-se, moderadamente, pelo menos, três vezes por semana. Deverá controlar os batimentos cardíacos em todas as sessões, não deixando ultrapassar os 140 por minuto. A grávida deve procurar a orientação de um profissional de educação física experiente no trabalho com gestantes.

Comentários