Vacinas opcionais

O que precisa de saber para decidir se as quer tomar ou não

As vacinas são uma das armas mais eficazes da medicina contra uma grande variedade de doenças.

São o testemunho de como a ciência tem evoluído no combate a epidemias e a diversas patologias que anteriormente eram mortais e hoje em dia estão controladas.

Fora do Plano Nacional de Vacinação existem outras vacinas que podem ser necessárias em situações particulares, como quando se viaja para países onde há um risco de infeção ou apenas para reduzir o risco de transmissão de doenças.

Como não constam do Plano Nacional de Vacinação não são gratuitas e a sua administração fica ao critério de cada cidadão. No entanto, poderão ser obrigatórias em caso de viagens.

Hepatite A

É pouco frequente em Portugal e geralmente não evolui para um estado crónico mas o vírus que a provoca pode estar presente na água e em alimentos.

Esta vacina é recomendada a quem vai viajar para países onde a incidência da doença seja alta ou haja um surto, mas também a quem padece de uma doença de fígado crónica. Antes dos 15 anos é administrada em três doses, depois dessa idade é dada em duas doses. Deve ser administrada dez dias antes da viagem.

Rotavírus

Este vírus é responsável pelos casos de diarreia aguda e gastroenterite nas crianças. Contrai-se por ingestão de água e alimentos contaminados e as formas mais graves podem originar desidratação. A vacina deve ser administrada às seis semanas e o reforço antes de completar seis meses.

Varicela

É uma doença contagiosa, frequente nas crianças, não tendo na generalidade dos casos consequências de maior. Nos adultos é menos frequente, mas tem manifestações mais graves, como insuficiência respiratória aguda. A transmissão do vírus faz-se por via respiratória ou contacto com as lesões cutâneas que provoca.

 

A vacina deve ser tomada por crianças com mais de um ano que nunca tenham tido a doença. O reforço é feito aos quatro ou seis anos. Pode ser dada a adolescentes.

Comentários