Trabalhos para Férias! Sim ou não?

No momento em que dezenas de pais leem este artigo, por certo já outras tantas vezes, lhes ocorreu a célebre questão: “ vão começar as férias e agora?”

Normalmente este “e agora” diz respeito à realização ou não de trabalhos de férias ou de atividades durante este período.

Ora, é meu dever alertar que, férias são férias caros pais. As férias no seu conceito amplo são para que os alunos possam momentaneamente, ou durante um espaço temporal, fazer outras coisas que não sejam a folha de papel e a caneta ou lápis para de forma repetida retomarem aquilo que, eventualmente, será uma extensão do que durante vários meses fizeram na escola.

Mas, dirão, assim vão esquecer-se do que aprenderam!

Esta não é certamente uma situação que reúna consenso. Sou defensor de que os habituais trabalhos de casa têm, ou devem ter, na sua essência uma forma de auto regulação, de responsabilização e organização do tempo. Sem serem um massacre, com conta peso e medida, os famosos T.P.C. são úteis para verticalizar o que atrás foi dito, o tal método de estudo. Até porque o conceito de família deve ser preservado, significando isto que uma criança chega a casa e tem o direito a poder brincar com os seus pais, usufruir de um conjunto de estímulos emocionais e afetivos que permitem também as aquisições académicas na escola.

De acordo com Alves “O trabalho de casa constitui, para muitos docentes, um dos instrumentos fundamentais para a promoção da qualidade da aprendizagem dos alunos. Quando elaborado com eficácia, pode significar, para os alunos, a aquisição de competências, desenvolvendo a sua iniciativa, a capacidade de se autodisciplinar, a autonomia e a aptidão para gerir o tempo. A execução do trabalho de casa também promoverá cenários de comportamentos de autorregulação e, consequentemente, a melhoria da qualidade do processo educativo”.

As escolas devem cada vez mais criar as estratégias indispensáveis à realização destes trabalhos. Ora vejamos um caso prático de uma criança que está na escola todo o dia e que depois ainda tem que chegar a casa e realizar um conjunto de trabalhos sem fim. Tal situação, traz, para além da questão familiar acima mencionada, por certo, uma desmotivação plena. A família e a nossa casa não devem ser uma extensão dos trabalhos que se devem realizar na escola. E por isso as Salas de Estudo e o tempo da Biblioteca no final do dia podem ser algumas das soluções para esta questão.

Comentários