Primeiros socorros para crianças

Saiba como agir em diversas situações com medidas bastante simples, que podem mesmo chegar a salvar a vida de uma criança. Nestes casos mais vale sempre prevenir...

Todos os anos inúmeras crianças são vítimas de acidentes domésticos e 4.7 mil chegam mesmo a falecer devido a estes. Devido a estes números tão elevados conseguimos perceber o porquê de estes serem a principal causa de morte entre crianças com 1 a 14 anos, sendo que muito deles acabam por acontecer no ambiente doméstico. No que diz respeito aos bebés, entre 1 e 2 anos, os acidentes mais frequentes são as aspirações de objetos estranhos, como os alimentos e os brinquedos. Na faixa etária seguinte, a partir dos 2 aos 4, os acidentes mais comuns são os afogamentos e os atropelamentos, sendo que estes últimos costumam ser os mais fatais. Mas a boa notícia é que a maior parte destes acidentes podem ser evitados com medidas bastante simples, que podem mesmo chegar a salvar a vida destas crianças. Por isso, se quer saber o que deve fazer no caso destes acidentes acontecerem, vamos contar-lhe tudo agora.

Sufocamento e asfixia: São as principais causas de morte, no que diz respeito a crianças até aos 2 anos de idade. Este tipo de acidentes acontece quando os bebés ingerem pedaços muito grandes de alimentos, bem como, peças de brinquedos ou moedas. Para conseguir combater este problema, torna-se importante manter o seu filho longe de todas estas coisas.

O que fazer - Se a criança começar a tossir, devido à ingestão de um alimento ou de outro objeto, deve ficar por perto e esperar até que ela consiga deitar para fora o que tinha ingerido. No caso de isto não acontecer e começar a reparar que a criança está a ficar pálida, é necessário que chame o INEM o mais depressa possível e que tente perceber se eles sabem fazer as devidas manobras de desengasgo e desobstrução das vias aéreas.

O que não deve ser feito - Colocar as suas próprias mãos dentro da boca da criança, pois pode vir a piorar mais a situação, acabando por empurrar o objeto mais para dentro da garganta.

Queda: É dos casos que não vai conseguir evitar por muito que tente, pois é bastante frequente que aconteça. Mas para evitar situações mais graves, deve apenas certificar-se de que todas janelas estão fechadas ou que tenham algo a protegê-las, assim como, bloquear o acesso às escadas e colocar antiderrapantes nos tapetes.

O que fazer - Primeiro é necessário que segure a criança e espere até que ela pare de chorar, para observar se os sintomas são diferentes ou não. Esta diferença pode ser notada na perda de consciência, na palidez, nos vómitos, choro, dor no pescoço ou nas costas, assim como, nas alterações comportamentais. Se a criança estiver inconsciente não é recomendado removê-la do local, mas sim deve chamar logo de imediato uma ambulância.

O que não deve ser feito - Demorar demasiado tempo para a levar ao hospital ou então, para chamar uma ambulância.

Comentários