Porque é que os videojogos são tão atraentes?

Talvez produto da sociedade atual, quando se questionam as crianças e os jovens sobre os motivos para jogarem, as suas respostas mais frequentes são pelo prazer, mas também como uma forma de ocupar o seu tempo.

Brincar é um atividade que surge espontaneamente no indivíduo desde cedo no seu desenvolvimento. Para além do contacto com os cuidadores, os bebés desenvolvem desde cedo um conjunto de comportamentos que estimulam e são estimulados pelo meio ambiente, sob a forma de atividade lúdica. Esta atividade, muitas vezes assumida sob a forma de jogo, acarreta em si um forte potencial de desenvolvimento das crianças, seja através da aquisição de novos padrões motores, pelo desafio cognitivo que apresentam ou pelo aumento do leque de emoções que sentem em expressão ao interagirem com os brinquedos.

O brincar da criança pode assumir várias formas: quando mexe num objeto com a intenção de explorar o seu som, quando pega num alguidar e finge que é um chapéu, quando empurra uma fila de carros como se fossem um comboio ou quando se senta para fazer um puzzle ou finge que é um cozinheiro a preparar uma refeição. Todas estas ações podem ser feitas sozinho ou acompanhado, aumentando as competências de interação.

Mas na atualidade, é difícil encontrar concorrentes à altura dos videojogos, sobretudo numa época em que este mercado se encontra em expansão relativamente às plataformas móveis. Tal significa que onde quer que esteja, a criança é o jovem tem novas possibilidades de brincar, dentro e fora de casa.

Porque é que os videojogos são tão atraentes? Conseguem reunir componentes visuais, auditivas e interativas como dificilmente alguma outra atividade o consegue, fornecendo horas intermináveis de divertimento a medida que se passam níveis, quer se esteja a jogar sozinho ou acompanhado.

É fácil reconhecer o prazer como uma motivação para o jogo. O desenvolvimento da tecnologia tem permitido uma melhoria ao nível gráfico e recentemente a realidade virtual aumentou a sensação de imersão, estimulando o cérebro de formas inteiramente novas é muito mais apelativas.

Comentários