O medo das injeções

Como ensinar o seu filho a perdê-lo

Os programas de vacinação disponíveis hoje em dia permitem prevenir um sem número de complicações nas nossas crianças.

Contudo, todos sabemos o que nos espera quando toca a arranjar uma história para levar o João à vacina ou para fazer com que o Pedro fique quietinho para a senhora enfermeira dar a injeção. Boas notícias, há maneira de aliviar a dor ou melhor de aliviar o medo da dor.

Este sim, que é o verdadeiro problema! Não são as injeções em si mas o sofrimento emergente pela fobia às agulhas que traz a verdadeira dor. Em primeiro lugar, a escolha não é da criança. O seu bebé não vai dar grande importância ao facto de que é uma coisa boa para ele. Doi! E isso é razão suficiente para não querer fazê-lo. Demasiadas explicações só vão piorar a situação. Seja determinado na sua explicação.

A distração, por exemplo! Até as mais simples podem eliminar muitos problemas... Levar um novo brinquedo para a injeção, chamar a atenção para um desenho na parede, contar algumas piadas, ou até soprar bolas de sabão são estratégias de sucesso para várias idades.

Um estudo de 2010 revelou que crianças aos entre os 5 e os 12 anos reagem muito bem ao truque da tosse. Tossindo uma vez antes e uma vez durante o procedimento de vacinação conseguimos reduzir significativamente as reações de dor da criança. Com crianças acima dos três anos de idade podemos também dizer-lhes para imaginar que estão a Soprar as velas do seu bolo de aniversário. Mesmo até ao fim da injeção!

Nos bebés entre 1 a 12 meses de idade, uma pequena quantidade de uma solução doce (sacarose ou glucose) mesmo antes da vacinação, garante menos choro durante e depois da mesma. Há que, contudo, ter o cuidado de não abusar! E que tal juntar uma Chupeta se o seu bebé estiver habituado?

Há todo um conjunto de estímulos prazerosos que podem contrariar a dor. Se juntarmos a chucha à solução de sacarose temos o dobro das forças positivas! E o que é mais hipnotizante do que bons Desenhos Animados em plena algazarra num ecrã de TV? Durante a vacinação, todo o stress envolvido é largamente reduzido se consguirmos focar a atenção da criança nos desenhos, video-jogos, ou qualquer outro ponto semelhante.

Um estudo de 2003 demonstrou que a aplicação do EMLA, um anestésico tópico, resulta em menos dor para a criança durante a injeção. Se estiver disponivel, este creme consegue bloquear o envio dos impulsos dolorosos para o sistema nervoso. Sempre com peso e medida, aconselhado pelo médico ou enfermeiro.

Até a ordem em que as vacinas são administradas importa. Num estudo de 2009, os bebés que menos choraram receberam uma combinação de vacinas, que na ordem inversa resultava em muito mais choro. Médicos, enfermeiros e pais podem trabalhar em conjunto para manter a criança calma e resolver o assunto. Vamos terminar com o medo das injeções!

Texto: Jorge Ascenção (psicólogo clínico e director clínico da Clínica Dermokorpus e da Clínica Médica de Matosinhos)

artigo do parceiro:

Comentários