Medicina alternativa na infância

O que diz a ciência sobre a aplicação de tratamentos de acupuntura, homeopatia ou quiroprática

«Poucos estudos avaliaram a forma como as terapias complementares e alternativas podem afetar crianças e jovens e os resultados de estudos realizados em adultos não se aplicam necessariamente às crianças. Os seus sistemas nervoso central e imunitário não estão totalmente desenvolvidos, pelo que podem reagir aos tratamentos de forma diferenciada dos adultos».

 

A explicação é dada pelo National Center for Complementary and Alternative Medicine, organismo oficial do governo norte-americano, que  oferece conselhos aos pais para os ajudar a garantir resultados seguros e eficazes. A eles juntamos, ainda, neste artigo as orientações do pediatra Mário Cordeiro, autor de guias de saúde para pais empenhados.

 

Acupuntura

 

Centrada no chi, a energia do organismo que circula por canais (meridianos), a acupuntura baseia-se na estimulação de pontos específicos onde essa energia existe em excesso ou se encontra estagnada. A inserção de agulhas de aço ultrafinas visa eliminar os bloqueios energéticos na origem da doença.

 

- Benefícios

 

Embora os resultados dependam do objetivo do tratamento, acredita-se, conta Mário Cordeiro, que «a acupuntura pode ajudar a controlar a dor em determinadas doenças crónicas ou em casos mais episódicos de dores nas costas, dores de estômago prolongadas ou de cabeça, e também aliviar o stresse, já que ajuda a fluir melhor a energia, equilibrando-a, ao anular os bloqueios. Pode também aliviar alguns sintomas de depressão», afirma.

 

- Cuidados


Mário Cordeiro lembra que «a acupuntura está a ser validada em cada vez mais países como uma técnica eficaz». No entanto, o especialista adverte que «a aplicação deste tipo de tratamento em crianças deve ser realizado por um acupuntor com experiência pediátrica – a Escola de Medicina Tradicional Chinesa tem disciplinas de pediatria».

 

Massagem


Estimula os órgãos e a circulação sanguínea e linfática para aliviar tensões e eliminar toxinas. Como lembra Mário Cordeiro, «a insistência que se faz para a realização da massagem no bebé é um reconhecimento do seu reflexo direto sobre a saúde e bem-estar da criança».

 

- Benefícios

 

Como esclarece o pediatra, «a massagem aumenta o bem-estar, em parte resultante do contacto tátil. As hormonas do stresse diminuem, o que promove o crescimento e estimula o sistema imunitário. Por outro lado, há equilíbrio da insulina e outras hormonas que intervêm na digestão e funcionamento intestinal».


- Cuidados essenciais


O pediatra considera imprescindível «recolher referências sobre o massagista e recorrer apenas a profissionais com formação dirigida à pediatria».


Comentários