O papel da alimentação e do sol no bebé explicados por uma médica

A vitamina D é essencial para o crescimento saudável de qualquer bebé. A propósito deste tema estivemos à conversa com a médica Helena Canhão, Reumatologista Pediátrica no Hospital Lusíadas Lisboa e Professora Universitária na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

A vitamina D na infância deve ser garantida de que forma?

As fontes principais de vitamina D provêm de alimentos e da exposição solar. Obviamente que são necessários todos os cuidados de proteção solar. No entanto, uma vida e crescimento saudáveis passam pela exposição ao ar livre e ao sol. E o sol é a fonte mais importante para promover a síntese de vitamina D na pele. Os alimentos ricos em vitamina D são também fundamentais. Nalguns casos pode ser necessária a suplementação farmacológica com soluções de vitamina D, nomeadamente no contexto de patologias caracterizadas pela má absorção, patologias ósseas ou quando a criança está medicada com alguns fármacos, como por exemplo a corticoterapia.

Quais são as consequências do défice de vitamina D até aos 3 anos?

A vitamina D é essencial para uma boa saúde dos ossos e por isso uma das consequências do défice de vitamina D nas crianças é o raquitismo. Mas dependendo do grau de carência e das razões para a existência da carência de vitamina D podem surgir outras consequências para a saúde e desenvolvimento da criança.

A saúde do bebé está muito dependente da saúde materna, das boas condições no momento do parto, da genética do bebé, dos cuidados que lhe são prestados e da alimentação nos primeiros meses de vida

Como é que se garante vitamina D em suficiência?

O aporte alimentar (leite) e a exposição ao ar livre são fundamentais para um bom aporte nos bebés. A suplementação com solução oral com gotas não é defendida por todos os especialistas e varia conforme as evidências que vão surgindo dessa necessidade. Há quem defenda a suplementação para todos até aos um ou dois anos de idade e quem considere que em bebés saudáveis e bem nutridos essa suplementação não se justifica. O mais importante é o acompanhamento regular do bebé pelo pediatra e que os pais ou responsáveis pelo bebé sigam as orientações que este lhes dá. Na dúvida, deve questionar-se sempre o médico ou o profissional de saúde.

É possível prevenir as doenças reumáticas no bebé? Como?

As situações estruturais como ter ossos, articulações e músculos saudáveis devem ser promovidas desde o nascimento e ao longo da vida. Isso é atingido através de uma alimentação equilibrada e saudável e mais tarde pelo controlo dos hábitos, nomeadamente álcool e tabaco e promoção de exercício físico. A saúde do bebé está muito dependente da saúde materna, das boas condições no momento do parto, da genética do bebé, dos cuidados que lhe são prestados e da alimentação nos primeiros meses de vida. A prevenção da doença reumática integra-se nestas idades na prevenção da doença em geral e obviamente no diagnóstico precoce das doenças reumáticas que se instalam nesta idades.

Comentários