Amamentar

Dar ou não dar eis a questão

Mais do que uma prova de amor, dar de mamar pode ser uma aposta na saúde do seu bebé.

É o gesto mais natural deste mundo mas não deixa de suscitar receios. A par com a felicidade do nascimento de um filho, surgem as preocupações em especial no que toca à saúde o bebé e à sua alimentação.

Incentivadas pela família ou por um desejo de cumprir à risca o ideal da maternidade, muitas mulheres questionam-se sobre se devem ou não amamentar. Será que consigo ser uma boa mãe se não der de mamar? Esta é talvez a pergunta mais frequente no início desta etapa tão importante na vida de uma mulher. Venha tirar esta história a limpo com o António Gomes, pediatra. Afinal de contas é o futuro do seu filho que está em jogo.

Antes de decidir amamentar o que é que a mulher deve ter em conta?


Deverá pensar no que é melhor para o seu filho. Hoje em dia não existem dúvidas acerca das vantagens do aleitamento materno (AM).

Todas as mulheres podem dar de mamar?

São raras as situações em que uma mãe não pode alimentar ao peito, sendo necessário discutir com o médico, caso a caso. Resumidamente, não poderão fazê-lo mulheres com neoplasias, em tratamento com quimioterapia e radioterapia, com infeções (mãe seropositiva, tuberculose ativa) e doenças psiquiátricas, que utilizem drogas e só muito raramente medicamentos.

Mulheres que têm um bebé em idade tardia devem amamentar?

A idade não é impeditiva. Verifico que as mulheres mais velhas dão mais de mamar, exatamente por saberem que é o melhor para os filhos.

Que benefícios traz a amamentação ao bebé?

Tem benefícios do ponto de vista nutricional, imunológico, cognitivo e afetivo. É menor a probabilidade de adoecer nos primeiros anos e há vantagens que se mantêm ao longo da vida, como o menor número de infeções respiratórias, de alergias e doenças cardiovasculares.

Para além do importante valor afetivo, nos últimos anos têm sido demonstradas vantagens em termos cognitivos. As crianças alimentadas ao peito são mais inteligentes.

Comentários