Rui Unas propõe negócio ao Gana

Em dia de jogo decisivo, ator tenta comprar vitória portuguesa no Mundial de Futebol.

Em dia de jornada decisiva para os destinos da Seleção portuguesa no Mundial de Futebol, Rui Unas resolveu dar uma ajudinha às cores nacionais.

Sabedor de que Portugal precisa de golear o Gana para ainda acalentar algumas esperanças de apuramento para os oitavos de final, o ator e apresentador gravou um vídeo em que faz a seguinte proposta aos ganeses: 

“Olá, povo do Gana. O meu nome é Rui Unas. Sou português e tenho a honra de vos propor um acordo que certamente irá beneficiar ambas as partes. Aqui vai… Em nome do meu povo, peço formalmente para vocês perderem o jogo contra Portugal por cinco a zero. Sim. Simples, não é? Tomei a liberdade de vos pedir isto porque, pelo que sei, a vossa Federação de Futebol tem todo o prazer em atender este tipo de pedidos. 

“Eu sei que vocês também vão receber uma proposta tentadora dos Estados Unidos, contendo dinheiro e a promessa de manter a Madonna longe das vossas crianças… Por isso, vou dar-vos uma razão forte e histórica para escolherem perder por cinco a zero com Portugal. 

“Como sabem, o primeiro contacto dos ganeses com europeus data de 1470. E esses europeus eram… portugueses. E até construímos uma fortaleza na vossa costa onde mais tarde fizemos negócios. Vocês deram-nos ouro e, em troca, nós demos têxteis, cavalos e sífilis. Então, porque não transportar essa prática secular para os dias de hoje? O que precisamos? Cinco golos. Nós só precisamos que vocês concedam cinco golitos que, para nós, valem ouro. 

“E o que é que nós damos em troca? Bem, nós damos… a barba do Meireles. Pubescência da melhor qualidade, tratada com os melhores condicionadores do mercado. 

Resistente e à prova de água. Ideal para fabricar qualquer tipo de tecido. Mas também vos damos o Bruno Alves. Ele não relincha muito, mas está totalmente qualificado para dar coices e puxar um arado. E, que se lixe, vamos meter o Postiga no negócio. Ele é tão bom como a sífilis, mas dá muito menos comichão. Temos negócio?”.

Comentários