Um dia na Golegã

Os locais de visita obrigatória e as actividades que não pode perder quando visitar esta vila ribatejana

Terra com grande tradição equestre, a Golegã é uma vila pequena mas não faltam pontos de interesse, a começar no seu casario branco com os frisos amarelos.

Outro dos motivos de interesse são as placas em ferro com um cavalo que identificam o comércio e os serviços e pelo picadeiro central, palco da Feira do Cavalo, que anualmente se realiza naquela vila.

Mas há mais para ver! A Igreja Matriz do século XVI com o seu portal manuelino, o Museu Municipal e o Jardim Equuspolis, a Casa-Estúdio Carlos Relvas, também conhecida como o templo da fotografia e pensada por um dos precursores da fotografia em Portugal, que lhe dá o nome.

Obrigatório é também visitar as várias quintas da Golegã e da Azinhaga e a Reserva Natural Paúl do Boquilobo, uma zona húmida banhada pelos rio Tejo e Almonda onde vive a principal colónia de garças do país. Ao visitar a capital do cavalo, não pode deixar de experimentar o desporto-rei da vila, a equitação. Para isso, dirija-se ao Centro Hípico Lusitanus e participe numa aula.

O cavalo já deixou há muito de ser o meio de transporte mais usado na vila, mas, se a visitar por altura da Feira Nacional e Internacional do Cavalo, verá que as gentes da terra deslocam-se quase exclusivamente de cavalo pelas ruas para cumprir a tradição. Independentemente da altura em que vá, pode sempre ficar alojada no Hotel Lusitano, uma casa típica da Golegã datada do início do século XX transformada num hotel.

Um local repleto de charme onde os hóspedes se sentem em casa. O chão de tábua corrida e as portas em madeira que têm tantos anos como a casa, o mobiliário clássico e contemporâneo conjugado na perfeição, as obras do Mestre Martins Correia (artista plástico natural da Golegã) e fotografias que retratam a vila são apenas alguns dos pormenores que marcam a diferença no Hotel Lusitano.

Os 24 quartos, divididos pela Casa Antiga e pela Ala Nova, são espaçosos e estão decorados num estilo minimalista mas muito aconchegante. E alguns deles têm vista para a lezíria ribatejana, que ganha encanto ao pôr-do-sol. Junto ao jardim, situa-se o Puro Spa, com três salas de tratamento, sauna, jacuzzi, banho turco, piscina interior e cabine de flutuação.

A lista de tratamentos disponíveis é extensa, mas destacamos a flutuação que, durante uma hora, deixa o cérebro num estado de relaxamento profundo por estar privado de estímulos (e devido à ausência de gravidade) e que termina com uma massagem de relaxamento. Experimente! Vale a pena... Os preços variam entre os 150 e os 380 € em quartos duplos com pequeno-almoço.

Mas visitar a Golegã é também saborear os bons paladares da gastronomia ribatejana, que pode degustar no Restaurante Capriola do Hotel Lusitano. O alpendre da Casa Antiga foi transformado num restaurante com vista para o jardim. Aqui, irá provar a cozinha tradicional portuguesa reinventada. Os produtos da região são o ex-líbris do menu do novo chef, Paulo Silva.

É também neste restaurante que é servido o pequeno-almoço, no qual se destacam os sumos de frutos naturais, as compotas feitas no próprio hotel, a fruta fresca e os bolos caseiros. O hotel tem ainda dois bares, ideais para lanchar e tomar uma bebida. O preço médio por pessoa varia entre os 20 e os 25 €.

Texto: Rita Caetano

artigo do parceiro:

Comentários