Escapadinhas de fins de semana e feriados

Pense já no próximo destino para uns dias fora da rotina e sem sair de Portugal (fotos)

O nosso país tem paisagens fantásticas e cenários de sonho que vale a pena (re)descobrir nem que seja durante uma breve escapada de dois ou três dias, o tempo suficiente para descansar corpo e mente e recuperar energias. Damos-lhe, por isso, algumas ideias de praias e de localidades urbanas que contemplam algumas das melhores coisas que Portugal tem para oferecer, configuradas num verdadeiro roteiro que deve guardar religiosamente para quando decidir fazer uma pausa revigorante.

Porto

A Lonely Planet elegeu o Porto como destino europeu do ano e sabe porquê? Porque a Cidade Invicta é cada vez mais uma capital das artes, como comprovam as galerias de arte contemporânea reunidas na Rua Miguel Bombarda, umas das artérias da cidade a visitar. Mas o Porto tem muito mais para mostrar aos turistas. (Re)descubra a Ribeira que a leva até à margem do Douro, atravesse a ponte D. Luís e vá até Gaia, vale a pena pelas Caves do Vinho do Porto ou apenas para apreciar o Porto e o seu casario.

Volte à cidade e, claro, vá a Serralves, à Foz e à Casa da Música, a sala de concertos do Porto. Se gosta de fado, não perca também o passeio de elétrico, organizado pela petisqueira Linha 22, durante a qual se realiza uma prova de vinhos e de queijos ao som da música mais tradicional de Portugal. Uma forma diferente de conhecer a cidade desde os Clérigos à marginal. Quando se fala em Porto, fala-se em francesinha e é quase um pecado ir lá e não comer uma.

Desta vez, sugerimos-lhe que prove a última inovação no que a este prato diz respeito, uma francesinha em massa folhada no Rua, na Travessa de Cedofeita, um bar onde são servidos vários petiscos e vinho a copo, tudo temperado com música ao vivo. No que se refere a alojamento, já se imaginou a dormir num mercado? Talvez não mas é possível no Hotel da Música, situado no emblemático edifício do Mercado do Bom Sucesso.

No novo design hotel da cidade do Porto respira-se música, como o nome indica, mas também muita história e gastronomia. Aproveite, por isso, a estadia para conhecer as novas bancas de produtos frescos do mercado mas também os restaurantes que ali moram. Preços a partir de 69 € em quarto duplo.

Obrigatório:
- Ir a um concerto na Casa da Música
- Provar uma francesinha
- Passear na Ribeira do Porto

Carrapateira

Esta praia, que foi considerada pela CNN e pela Surfing Magazine como um dos 50 melhores locais para a prática de surf, é um bom ponto de partida para descobrir o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, que se estende entre São Torpes e o Burgau. Prepare-se para descobrir algumas das praias mais bonitas do nosso país, protegidas por falésias gigantes e com um ar selvagem que nem sempre é fácil de encontrar no litoral português.

As praias da Ponta Ruiva, do Amado, do Beliche, do Castelejo, da Barriga e da Ingrina são algumas das que deve visitar. Aproveite ainda para fazer caminhadas e, claro, para desfrutar da paisagem da Ponta de Sagres e do Cabo de São Vicente, onde a terra acaba e a força da natureza impera. No que se refere à gastronomia, como não poderia deixar de ser, o peixe é rei e senhor nesta zona e, para o provar, sugerimos-lhe que experimente o restaurante Eira do Mel, em Vila do Bispo.

O bife de atum à algarvia, a cataplana de peixe e o arroz de polvo são alguns dos pratos que deve degustar mas atenção que, em alguns casos, terá de encomendar com um dia de antecedência. Escondido no meio da vegetação, o Monte da Vilarinha, uma unidade de turismo rural, é a opção certa para desfrutar da paz que a Costa Vicentina transmite. O monte está dividido em três zonas com tipologias de casas diferentes e com vista para o vale.

Em parceria com a Walking'Sagres, o Monte da Vilarinha propõe um novo desafio aos seus hóspedes, o Walking'Carrapateira com três percursos distintos, com início e fim no monte, para descobrir a região. Preços a partir de 120 € por quarto duplo.

Obrigatório:
- Ter uma aula de surf
- Visitar a Ponta de Sagres e o Cabo de São Vicente
- Fazer um dos percursos Walking'Carrapateira

Carrapateira

Comporta

Dado o extenso areal, é o destino ideal para quem gosta de praia sem grandes enchentes e está situada a apenas uma hora de Lisboa. Mas esta povoação alentejana rodeada de arrozais também tem nas suas proximidades outros pontos de interesse, entre os quais a cidade de Alcácer do Sal, com o seu casario caiado de branco, o Porto Palafítico da Carrasqueira, ainda usado pelos pescadores tradicionais e que desenha uma paisagem única no Estuário do Sado e as ruínas romanas de Cetóbriga, que foram em tempos antigas salgas de peixe.

O peixe, o marisco e o arroz são os pratos fortes da zona da Comporta e por aqui não faltam bons restaurantes. No que se refere a sugestões, destacamos o Museu do Arroz, situado nas instalações de uma antiga fábrica de descasque de arroz, onde pode deliciar-se com uns filetes de peixe-galo com arroz de lingueirão e os bolinhos de arroz. A esplanada tem vista para o arrozal.

Para dormir, em perfeita harmonia com a natureza, o Comporta Cocoon Lodges é composto por 30 casas de madeiras assentes em estacas, para evitar a impermeabilização dos solos um dos vários pormenores que tornam este resort ecológico. Tem uma piscina biológica, campo de jogos e está situado a cinco minutos da praia da Comporta. É um autêntico oásis de tranquilidade. Preços a partir de 120 € (casas para seis pessoas).

Obrigatório:
- Visite o Porto Palafítico da Carrasqueira
- Desfrute de uma praia que parece não ter fim
- Delicie-se com o peixe e o marisco

Comporta

Chaves

A apenas 12 quilómetros de Espanha, Chaves é uma cidade repleta de história que vem desde os tempos do Império Romano. Na altura, foi batizada como Aqua Flaviae em honra às suas águas quentes com poderes curativos que ainda hoje são sobejamente conhecidos, mas não são apenas as termas que perduraram no tempo. Logo ali ao lado, encontra um dos ex-líbris da cidade, a Ponte de Trajano, construída no século I em granito e que se estende por 150 m com os seus arcos perfeitos.

Passeie pela zona ribeirinha e perca-se no bem preservado Bairro do Castelo. Nas movimentadas Ruas de Santo António e do Sol, deixe-se surpreender pela arquitetura da cidade (as varandas de madeiras pintadas de diversas cores são singulares). Visite ainda o Forte de São Francisco, a Torre de Menagem do Castelo e a Igreja da Misericórdia de estilo barroco. O presunto e os pastéis de Chaves (pastéis folhados de carne de vitela) são os petiscos obrigatórios mas em Trás-os-Montes toda a gastronomia é deliciosa.

Um dos restaurantes a experimentar é a Adega Faustino, onde pode provar a comida regional. Para ficar, sugerimos um solar oitocentista, que combina a arquitetura barroca com um estilo mais contemporâneo foi exemplarmente transformado no Hotel Rural Casas Novas, situado a 11 quilómetros de Chaves. Tem piscina interior e exterior, health club, biblioteca e muito espaço ao ar livre para apreciar a paisagem. Os hóspedes também são convidados a fazer a Rota Ambiental que passa por calçadas romanas, capelas, rios e solares. Preços a partir de 60 € em quarto duplo.

Obrigatório:
- Provar o presunto de Chaves
- Passear no bem preservado centro histórico da cidade
- Dar um mergulho nas águas milagrosas das termas da cidade

Chaves

artigo do parceiro:

Comentários