Acomodar os outros

Vedānta é como cálculo aritmético


Vedānta é o ensinamento da realidade de cada um. É através de um inquérito que o verdadeiro significado da palavra EU é descoberto, esse Eu que permanece imutável desde criança até à velhice. Isto leva cada um de nós a descobrir que este imutável EU é livre de qualquer forma de limitação. Para reconhecer e deter esta totalidade é preciso uma mente preparada. Para aquele que tem uma mente não preparada, Vedānta é como cálculo aritmético para uma pessoa que ainda está a aprender matemática básica. Em Vedānta, a mente preparada é aquela que tem, numa quantidade relativa, aquilo que precisa de ser descoberto num sentido absoluto. Se o EU é contentamento absoluto, então a mente do aspirante deverá ser relativamente contente. Se o EU é amor absoluto, então o aspirante deverá ser uma pessoa relativamente amorosa, uma pessoa que aceita com contentamento as pessoas e as coisas como são.

Para se obter uma mente assim, está implicado o reconhecimento, a importância e a compreensão de certos valores e atitudes. Por exemplo acomodar os outros é um desses valores. De facto, a raiva é devida à falta de acomodação. Se espera que o mundo seja de acordo com a sua preferência, então é a sua própria expectativa que lhe trás raiva. Acomodação é compreender que a outra pessoa se comporta de determinada forma porque tem um passado, está condicionada por ele. Você não tem o direito de esperar alguma coisa diferente de alguém por causa das suas necessidades. Se pensa que tem o direito de pedir a alguém para mudar, então essa pessoa tem igualmente o direito de lhe pedir para a deixar viver da forma que quer. De facto, só através da acomodação dos outros, de os deixar ser como são, é que se ganha uma liberdade relativa no dia-a-dia.

Veja mais na próxima página

O que procura?

Comentários