O excesso de peso e a sua influência nas relações sexuais

Nos homens, a função erétil pode ser afetada. Nas mulheres, atingir o clímax passa a ser uma tarefa ainda mais complicada. Veja o que pode fazer

As consequências do excesso de peso são muitas, tendo esta condição um grande impacto na saúde em geral. Porém, um dos aspetos menos abordados acerca da obesidade e do excesso de peso, é a sua influência na vida sexual, tanto do homem como da mulher. A verdade é que muitos dos problemas de saúde causados pelo excesso de peso influenciam a vida sexual, tendo impacto na função erétil dos homens, na capacidade em atingir o orgasmo das mulheres e no desejo sexual de ambos os sexos.

Segundo um estudo desenvolvido na Universidade de Duke nos Estados Unidos da América, cerca de 30% das pessoas com obesidade ou excesso de peso apresentam disfunção ao nível do desejo sexual, performance sexual comprometida ou ambas, sendo que estes problemas se relacionam com condições de saúde físicas ou psicológicas motivadas pela obesidade. Uma situação que, em muitos casos, acaba por ter reflexos negativos na vida do casal.

O impacto físico

A obesidade provoca desequilíbrios hormonais quer no homem, quer na mulher. Segundo Stamatios Poupalos, médico da clínica HealthExpress, «o principal desequilíbrio ocorre com o químico globulina transportador de hormonas sexuais, também conhecido como SHBG. Quando o SHBG aumenta, a disponibilidade de testosterona diminui por este químico se ligar à testosterona e impedir que esta hormona esteja disponível».

«A testosterona é responsável pela estimulação do desejo sexual tanto nos homens como nas mulheres», esclarece ainda o especialista. Este impacto na libido é proporcional ao grau de obesidade. Quanto maior o Índice de Massa Corporal (IMC), maior quantidade de SHBG é produzido e consequentemente, maior o seu impacto nos níveis de testosterona e desejo sexual. Condições como a diabetes, o colesterol elevado e a hipertensão estão fortemente associadas à obesidade.

Por outro lado, o impacto destas condições na disfunção erétil é bem conhecido, uma vez que todas elas influenciam a circulação sanguínea pelo corpo, incluindo para o pénis. Da mesma forma, os medicamentos usados no tratamento destas condições têm também um impacto na capacidade erétil, prejudicando a obtenção e manutenção da ereção durante as relações sexuais. No caso das mulheres, a diminuição de aporte sanguíneo para o clítoris, semelhante ao que acontece no pénis dos homens, dificulta a excitação sexual e consequentemente dificulta a obtenção do orgasmo.

O impacto psicológico

Para além das condições físicas diretamente causadas pelo excesso de peso, este tem também um impacto psicológico que prejudica a qualidade das relações sexuais. Pelo facto da gordura estar normalmente associada a uma imagem corporal negativa, os sentimentos de insegurança e ansiedade na hora do sexo afetam não só o desejo sexual mas também a performance sexual. O excesso de peso influencia também o tipo de posições escolhidas durante as relações sexuais, tornando algumas posições muito desconfortáveis e difíceis de conseguir.

Se ambos os parceiros forem obesos, a acumulação de gordura na zona abdominal pode impedir uma penetração adequada, para além de, no caso do homem, levar a um pénis com uma aparência mais pequena, o que pode afetar significativamente a sua confiança. Não é raro a obesidade estar associada à depressão ou a uma autoestima baixa. Normalmente, quando um indivíduo é obeso desde a infância, pode ser sujeito a ações de bullying e a discriminação que dificultam a relação com outras pessoas e consequentemente prejudicam a sua vida sexual.

Veja na página seguinte: O que pode fazer para melhorar a sua vida sexual

Comentários