Há quem não viva sem… encontros a quatro!

O double dating está em voga e atrai um número crescente de adeptos. Conversámos com uma especialista para desvendar o mistério

Podia ser um artigo sobre swingers mas não é. De certeza que já ouviu falar de double dating. Quisemos saber por que é que há casais que precisam de outros na sua vida social e até na sua vida amorosa. Conversámos com uma especialista para desvendar este mistério. O hábito de sair e fazer atividades lúdicas com outros casais, conhecido como double dating, é saudável e contribui diretamente para a felicidade dos casais. É o que revela um estudo da Universidade do Maryland nos Estados Unidos da América.

Geoffrey Greif e Kathy Deal, investigadores naquele instituto de ensino superior, descobriram que passamos a achar o nosso parceiro mais atraente quando convivemos com outro casal. E, para chegarem a esta conclusão, entrevistaram 245 pessoas casadas ou em relacionamentos amorosos. De acordo com os especialistas, uma mensagem sobressaiu da investigação.

Se o nosso companheiro se está a divertir, nós também nos divertimos. Carla Oliveira, psicóloga e psicoterapeuta na Clínica da Mente, confirma a descoberta de Geoffrey Greif e Kathy Deal. «Casais que passaram a sair juntos com outros relataram vários benefícios e, principalmente, uma melhoria no próprio relacionamento amoroso, mais satisfatório e feliz», defende mesmo.

Cabeça nas nuvens

Verifica-se uma situação curiosa sempre que alguém começa um relacionamento novo. As mulheres quando querem estar com os amigos solteiros vão sozinhas, e não levam o novo companheiro. Por um lado, isso explica-se pelo facto de esse período ser marcado pelo isolamento do casal, dado que estão na fase da descoberta e dos sentimentos fortes – como a paixão e o desejo sexual.

Por outro lado, Carla Oliveira esclarece que na fase inicial de qualquer relação «ainda não há uma ligação emocional suficientemente forte para tolerar os defeitos, apenas se conhecem as qualidades». Neste sentido, não apresentar logo o novo namorado ao grupo de amigos é uma tentativa de preservar essa sensação de viver num mar de rosas. Para o bom e para o mau, os amigos acabam por fazer-nos descer à terra, o que pode «perturbar a evolução da relação», continua a especialista.

Vida social aos pares

Contrariamente, quer no início de uma relação, quer se a relação está a atravessar um mau momento, os encontros com outros casais podem ser benéficos. «Passar momentos agradáveis com outros casais pode tornar o namoro ou casamento mais satisfatórios», adianta Carla Oliveira.

Estas amizades entre casais podem ser estimuladas através de combinações de almoços ou jantares, idas a espetáculos, à praia, prática de desportos coletivos, entre outras atividades que ajudam a reforçar o laço entre os dois membros do casal. Inclusive, é comum os casais desenvolverem uma certa proximidade e cumplicidade que, nas palavras da psicóloga, «pode levar a relacionamentos platónicos, edificados por relações afetuosas ou idealizadas sem caráter sexual».

Veja na página seguinte: Os tipos de casais que mais aderem a este tipo de programas

Ver artigo completo

Comentários