“Sou gay”. A história do americano que saiu do armário aos 95 anos

Casado há 67 anos, com dois filhos e cinco netos, Roman Blank decidiu sair do armário e revelar à família a sua homossexualidade. Numa entrevista publicada no YouTube, o nonagenário revela que gostava de ter uma relação.

Chama-se Roman Blank, atualmente com 96 anos, revelou no ano passado à família um dos seus maiores segredos: a sua homossexualidade.

“Eu disse que tinha nascido assim e que durante toda a minha vida fui gay. Contei-lhes a tragédia que foi a minha vida e eles entenderam o que tinha acontecido. Porque dizer que sou gay e mais nada é ridículo”, disse o nonagenário numa entrevista concedida ao youtuber Davey Wavey, amigo de um dos seus cinco netos, o produtor Brand Gross.

Casado há 67 anos com Ruth, o casal parecia ter o casamento perfeito mas a verdade é que a sua vida foi marcada por muita dor e sofrimento. Enquanto sobreviventes do Holocausto que perderam a família de forma trágica, o casal manteve-se sempre unido mesmo após Ruth ter descoberto a verdadeira orientação sexual do marido pouco tempo após o nascimento do seu segundo filho.

No vídeo, Roman explica que com apenas cinco anos já sabia da sua orientação sexual, algo que sempre optou por ocultar dos seus familiares. Questionado sobre o tipo de homem que mais o atrai, o nonagenário americano é direto. “Tanto me faz. Eu não olho para a cara, eu olho para o coração. Quero ter alguém em que me possa apoiar, alguém que tenha o coração a bater. Vou ser o mais honesto possível, não preciso da conexão física ou mental, mas quero ir dormir e ter alguém perto de mim. Não para outras coisas, mas para ter a certeza que tenho alguém ao meu lado que se preocupa comigo.”

A entrevista surge a propósito do documentário que Brand Gross está a preparar sobre a história de vida do avô e da avó. De acordo com a sinopse, On My Way Out: A An Unconventional Love Story “capta a história de amor notável” do casal “conectando com os valores base que fazem de nós seres humanos, a necessidade e desejo de amar e ser amado”.

Em entrevista ao jornal Metro, Davey Wavey aplaudiu a decisão de Roman referindo que se trata de uma história complexa, muito emocional e difícil. “É impossível não pensar se as circunstâncias tivessem sido diferentes que a história de Roman podia ter tomado outro rumo. E também sentimos empatia pela mulher dele. Apesar de se terem amado de forma muito profunda, ambos merecem paixão e intimidade sexual. Será que tiveram isso, mesmo ele sendo gay? Não sei”, referiu.

A entrevista, publicada no canal de YouTube do jovem, já conta com mais de 264 mil visualizações.

Comentários