Portugueses que fizeram dietas de sucesso estão a ser seguidos por investigadores

Projecto da Faculdade de Motricidade Humana segue 230 pessoas
A Faculdade de Motricidade Humana está a seguir 230 portugueses que emagreceram no mínimo cinco quilos e conseguiram manter o peso durante um ano para compreender quais os comportamentos de sucesso de uma dieta.


A investigação já concluiu que não há uma fórmula milagrosa, mas existem bons truques.

Até agora, os participantes envolvidos perderam em média 18 quilos: as mulheres emagreceram, em média, 16 quilos e os homens 21. Mas este é um valor que pode mudar, já que o estudo, iniciado há três anos, não tem prazo para terminar.

“Qualquer adulto que tenha perdido pelo menos cinco quilos nos últimos 15 anos e tenha mantido o peso durante um ano pode participar neste registo a qualquer altura, basta inscrever-se na internet ou telefonar”, explicou à Lusa o investigador Pedro Teixeira, acrescentando que neste momento existem pessoas dos 18 aos 65 anos de praticamente todos os distritos do país.

Perceber o tipo de comportamentos que adotam os portugueses que conseguem perder peso é o objetivo do projeto “Registo Nacional de Controlo de Peso”, do Laboratório de Exercício e Saúde da Faculdade de Motricidade Humana (FMH), da Universidade Técnica de Lisboa.

Para conhecer os hábitos, uma equipa multidisciplinar acompanha as pessoas durante um ano: no dia em que se inscrevem e doze meses mais tarde. Identificados os casos de sucesso, os investigadores recolhem informações sobre os métodos usados para perder peso e as estratégias para o manter.

Apesar de ainda só terem sido avaliados os processos de 150 dos 230 inscritos, Pedro Teixeira diz já ser possível tirar algumas conclusões. “Por exemplo, percebe-se que as pessoas atingiram a perda de peso por meios muitos diferentes. Não existe uma receita padrão para toda a gente, cada um tem a sua”, disse o professor catedrático da FMH.

Mas existem características que unem os inquiridos: “têm um elevado nível de atividade física, são pessoas que passaram a comer mais vezes em casa, a cozinhar de forma mais saudável e a dar importância ao pequeno-almoço”.

Os inquiridos têm também poucos comportamentos sedentários ("veem apenas cinco horas semanais de televisão em média") e são vigilantes no que toca à manutenção do peso, já que não passam muito tempo sem subir a uma balança.

Em vez de dietas “estranhas” e “muito agressivas”, optaram por uma alimentação cuidada que conseguem manter ao longo do tempo, acrescentou ainda o responsável que hoje apresenta algumas conclusões do estudo no II Congresso Ibero-Americano de Nutrição, que decorre em Lisboa até quinta-feira.

Entre os participantes no Registo Nacional de Controlo de Peso, existe quem aceite contar a sua história. Pedro Teixeira explica que “no site estão histórias reais de pessoas que contam as muitas tentativas e batalhas para atingir o peso. Contam para dar o exemplo”.

Lusa




11 de Maio de 2011

Comentários