Mulheres representarem quase dois terços dos licenciados europeus

De acordo com relatório europeu hoje divulgado, apenas 3% das maiores empresas são presididas por mulheres

Segundo o novo relatório sobre a Igualdade entre Mulheres e Homens na União Europeia (UE) em 2010, que será discutido e votado pelo Parlamento Europeu nas próximas terça e quarta-feira, em Estrasburgo, as mulheres representam, em média, 12% dos membros dos conselhos de administração das maiores empresas cotadas na bolsa na UE.

Os números variam em função dos países desde 26% de mulheres como membros dos conselhos de administração na Suécia e Finlândia, até 2% em Malta. Em Portugal, este valor não ultrapassa os 5%, o que coloca o país entre os quatro europeus onde menos mulheres ocupam estes postos.

A situação já levou o Presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, a defender a introdução de quotas de mulheres nos conselhos de administração das empresas como última alternativa. Para Buzek, em 2015, as mulheres devem constituir, pelo menos, 30% dos conselhos de administração das empresas".

Na UE, as mulheres ganham menos 17,5 % em média do que os homens, não se tendo registado qualquer redução na disparidade salarial entre homens e mulheres nos últimos anos. Há países onde a disparidade chega aos 30%.

Com a crise - revela o relatório - "as reduções salariais fizeram-se sentir sobretudo em sectores de serviços predominantemente femininos e em sectores financiados pelos orçamentos do Estado em que a maioria dos Trabalhadores são mulheres".

4 de Março de 2011

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários