Liga Portuguesa Contra o Cancro relança campanha de prevenção

O cancro da mama ainda é a primeira causa de morte das mulheres entre os 35 e os 55 anos e a segunda entre as mulheres de todas as idades.

Nos meses de Janeiro e Fevereiro, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) relança a campanha de prevenção do cancro da mama na televisão, publicidade em autocarros, e em mupis.

"Ignorar o cancro da mama é ignorar aqueles de quem gosta" é a mensagem-chave desta sensibilização, sob o mote "Tempo de Viver", que tem dois públicos-alvo: as mulheres mais jovens e as mais velhas, e pretende alertar para a importância do diagnóstico precoce do cancro da mama, através da ida regular ao médico e da realização da mamografia.

"Com esta campanha de sensibilização, pretendemos acabar com a inércia na ida ao médico e alertar para a realização de mamografias com um intervalo de tempo regular (habitualmente de 2 em 2 anos), que funcionam como diagnóstico precoce, que podem reduzir os números negativos, associados a mortes e mastectomias", explica Carlos de Oliveira, presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

"A campanha também procura estimular as mulheres, com mais de 45 anos, a participarem no rastreio do cancro da mama, quando são convocadas.

A Liga é responsável por este rastreio em Portugal continental e importa destacar as mais recentes conquistas: o rastreio no distrito do Porto iniciou-se em 2009, no distrito de Braga em 2010 e no distrito de Lisboa, esperamos que tenha início no decurso deste ano, completando assim a cobertura nacional, com o apoio do Ministério da Saúde", esclarece o presidente da LPCC.

Anualmente, são detectados cerca de 4.500 casos de cancro da mama em Portugal e 1.500 mulheres morrem por ano com esta doença. O cancro da mama representa 23% dos casos de cancro que afectam a mulher, calculando-se que uma em cada dez mulheres irá desenvolver cancro.

11 de Janeiro de 2011

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários