Férias: mulheres mais cautelosas face à crise

Estudo revela que elas optam por estadias mais curtas face ao período de contenção

O inquérito relativo às opções de férias dos portugueses para este ano, encomendado por Hotéis.com revela que existem algumas divergências entre as preferências dos entrevistados do sexo masculino e os do sexo feminino.

Assim, ao serem questionados sobre se, nas mesmas condições (em termos de valor, período de tempo e tipo de alojamento), prefeririam ficar em Portugal ou ir de férias para fora do país, 58,3% das mulheres optaria por férias no estrangeiro, contra apenas 49,8% dos homens.

No que respeita à opção por ficar em Portugal, essa seria a escolha de 42,3% dos homens entrevistados, e de apenas 32,2% das mulheres. Revela-se portanto uma maior tendência entre as mulheres para preferirem ir para o estrangeiro, e nos homens esta tendência (apesar de forte), não parece tão acentuada.

Por outro lado, as mulheres também parecem deixar-se afectar mais pelas mensagens de contenção resultantes das análises da situação financeira do país, e 65,8% indicam que a crise irá afectar os seus planos de férias este ano, comparativamente a apenas 57,2% dos homens. Assim, apesar de em ambos os sexos existir cuidado ao desenvolver os planos para as férias, o sexo feminino parece mais cauteloso.

Quando questionados sobre a forma como os planos de férias serão efectivamente influenciados pela crise financeira, a resposta mais obtida junto de ambos os sexos refere-se a estadias mais curtas. No entanto, os homens dividem-se mais equitativamente entre estadias mais curtas (27%) e menos despesas durante as férias (21,7%), enquanto as mulheres apostam mais fortemente na redução do tempo da estadia (33,6%) e apenas 13% em menos despesas nas férias.

29 de junho de 2011

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários