As imagens de um casamento gay que é um conto de fadas

David e Thomas moram em Nova Iorque e, embora tenham vivido noutros países, decidiram celebrar o amor que sentem um pelo o outro com duas cerimónias, uma em Portugal e outra nos Estados Unidos, a terra natal de cada um. Casaram no Bussaco numa celebração judaica, intimista e cheia de glamour. Hoje é o Dia Internacional da Luta Contra a Homofobia e Transfobia.

A união de David e Thomas em solo português aconteceu no verão de 2015, no Miradouro das Portas de Coimbra, na Mata do Bussaco, património nacional cultural e natural. Thomas Anthony Reedman, norte-americano de 29 anos, e David Emmanuel Suffit, luso-descendente de 33 anos, conheceram-se em 2011, quando trabalhavam num projeto em comum para a L'Oreal.

Thomas é hoje diretor de marketing na L'Oreal Luxe, David é diretor de desenvolvimento de fragrâncias na Firmenich.

David nasceu e morou em França e foi transferido em 2009 para Nova Iorque ao serviço da L'Oreal, empresa para a qual trabalhava. Thomas é natural da Pensilvânia, Estados Unidos, e estudou em Madrid. Foi aqui que começou a trabalhar na L'Oreal, acabando por ser transferido para Nova Iorque em 2011.

A mãe de David é natural de Ílhavo, em Aveiro, mas cedo emigrou para França com parte da família. Apesar de ter nascido em França, David sempre passou os verões com a família em Portugal, onde fazia muitos passeios pela Mata do Bussaco, local que lhe traz boas memórias de infância e que foi fulcral na hora de escolher um sítio para a cerimónia. Portugal sempre fez parte da sua cultura.

Os preparativos para o casamento começaram com mais de um ano de antecedência, em 2014, conta Vera Costa, responsável da "Ideias de Veludo".

A maioria dos convidados viajou dos Estados Unidos, Espanha e França para Portugal. Todos, e também os noivos, ficaram hospedados no Palácio do Bussaco, onde conviveram numa "bridal party" antes da cerimónia que decorreu ao final do dia. Só depois é que os noivos se prepararam para o casamento.

O caminho do Palácio até ao miradouro, onde decorreu a cerimónia judaica, foi feito a pé por todos os convidados e noivos e estava decorado com frases e fragrâncias que marcavam a história dos dois. Foi o David, perfumista de profissão, que criou os aromas que representavam o seu percurso enquanto casal, assim como a fragrância que serviu de lembrança para os convidados.

A cerimónia judaica, por ser a religião do Thomas,  seguiu todas as tradições e protocolos inerentes, mas com um toque português: o início e o final da cerimónia foram acompanhados ao som de guitarra portuguesa.

Os noivos, com várias damas de honor, entraram na cerimónia de braço dado com as respetivas mães. A cerimónia foi dirigida por uma amiga dos noivos, legitimada pela religião judaica para o efeito.

Todos os convidados foram brindados com um "welcome bag" com pequenos aperitivos tradicionais portugueses e uma andorinha de cerâmica, que representa Portugal, o amor e a fidelidade. "Além de surpreendente e muito bonita, transbordou emoção entre todos, ao som da guitarra portuguesa e com uma vista esplêndida sobre Coimbra", recorda Vera Costa.

As fotografias foram cedidas pela Espaço Branco | Fotografia do evento.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários