Quatro “mentiras” financeiras a evitar

No dia das mentiras fique a conhecer quatro mentiras financeiras comuns que deverá evitar pelo bem da sua carteira.

Desde crianças à vida adulta, somos educados a acreditar que mentir é feio. E mesmo as pequenas mentiras podem rapidamente evoluir para situações preocupantes e pôr em causa a sua estabilidade financeira. No dia em que se comemora o “Dia das Mentiras” fique então a conhecer quatro comuns “mentiras financeiras” que deverá evitar.

1. “Não tenho muitas dívidas”
Se as suas dívidas ultrapassam 35% do seu rendimento disponível é possível que esteja perto de uma situação de endividamento. Não conseguir pagar as contas nos prazos específicos, deixar as contas básicas por pagar e não ter um fundo de emergência são outros sinais que pode estar em vias de atingir uma situação de endividamento. Antes de fazer um crédito é imprescindível que saiba se os consegue suportar. Além disso, é imperativo que nunca faça créditos para pagar outros créditos. Esta situação pode levá-lo a uma “avalanche” de créditos que depois não irá conseguir pagar. Sabe qual é o seu esforço financeiro?

2. “Não consigo poupar”
Ao ter um orçamento demasiado apertado, muitas famílias não conseguem pôr dinheiro suficiente de lado para criar um fundo de emergência ou qualquer tipo de poupança. Mas se utilizar alguns truques na gestão do seu orçamento, conseguirá constituir a pouco e pouco um pé-de-meia. Por exemplo, logo no início do mês transfira para a sua conta poupança 10% do seu rendimento mensal. Desta forma, evitará mais facilmente gastar a totalidade do seu rendimento. No entanto, se o seu orçamento já está muito esticado e não consegue colocar de lado 10% do seu salário, experimente tentar poupar um euro por dia. Se fizer as contas ao fim de um mês terá 30 euros e ao fim de um ano a sua poupança atingirá os 365 euros. O que é necessário é estabelecer disciplina orçamental. Quanto mais cedo começar, mais dinheiro terá poupado. Saiba quanto tem de poupar para ser milionário.

3. “Se tivesse mais dinheiro poderia fazer mais coisas”
Se não vai ao ginásio porque não tem dinheiro suficiente, não sabe falar inglês porque não consegue pagar aulas particulares ou não consegue ter dinheiro suficiente para viajar, saiba que não paga nada por correr no jardim ao pé da sua casa, nem por ter aulas de inglês gratuitas em vários sites educativos e que existem várias formas de fazer umas férias fora do país sem gastar muito dinheiro. Muitas vezes a falta de dinheiro é usada como argumento para evitarmos fazer algumas atividades que no início podem causar algum desconforto ou receio. Para saber como pode colocar em prática as atividades que gostaria de fazer, consulte a internet e pesquise as várias soluções low cost que existem no mercado. Saiba como viver de forma low cost.

4. “Se ganhasse o Euromilhões a minha vida era perfeita”
Sabia que a maior parte dos felizardos que ganham um prémio do Euromilhões gastam tudo em dois anos? Segundo um estudo desenvolvido por economista e neuro-economistas, as pessoas que ganham grandes quantidades de dinheiro de forma repentina acabam por gastá-lo em dois anos. Por isso mesmo, nem sempre ganhar grandes quantias de dinheiro pode ajudá-lo a ter uma vida mais confortável. O caso mais badalado é o do casal português de namorados que não quis dividir o prémio e acabou (ao fim de vários anos de processo em tribunal) não só por ter que dividir 15 milhões de euros, como também a romper o namoro. Mas há mais casos: No ano passado, um euromilionário que estava falido e a viver num quarto alugado acabou por matar a senhoria devido a divergências em relação à renda da casa. Saiba como poderá ganhar um mini-euromilhões sem jogar.

Leia também os seguintes artigos relacionados com o mesmo tema:
Especial Mês do IRS: Esclarecimento de uma dúvida por dia
Conheça os cursos online gratuitos
Minimalismo: Como funciona o movimento que ajuda a poupar?
Cinco formas de aumentar a sua poupança
Três maneiras de poupar já na gasolina
 

artigo do parceiro:

Comentários