Existem cada vez mais mulheres em cargos de direção em Portugal

Deloitte revela estudo que mostra que 13% dos cargos de direção no nosso país são ocupados por mulheres, mas apenas 2% das mulheres lidera os conselhos de administração.
créditos: Pixabay

Apesar da representatividade das mulheres nos cargos de direção continuar a aumentar a nível mundial, o número de mulheres que presidem os conselhos de administração permanece baixo. Em Portugal, apenas 13% dos cargos de direção das empresas são ocupados por mulheres e apenas 2% dos conselhos de administração são presididos por profissionais do género feminino, de acordo com a 5ª edição do estudo “Women in the Boardroom: A Global Perspective” da Deloitte. A nível global, as mulheres ocupam 15% dos cargos de administração e apenas 4% presidem o conselho de administração.

O estudo, que analisa os esforços realizados em mais de 60 países para promover a diversidade de género nos conselhos de administração, identifica uma correlação direta entre a liderança feminina, que inclui as funções de CEO (Chief Executive Officer) e de presidente do conselho de administração, e o número de mulheres com cargos de administração.
“Este estudo revela uma importante tendência: um maior número de mulheres a liderar o conselho de administração traduz-se numa maior diversidade de género. Nas organizações lideradas por mulheres, o número de cargos de direção ocupados pelo género feminino quase duplica”, afirma Dan Konigsburg, Managing Director do Center for Corporate Governance da Deloitte. “Ainda assim, a percentagem de mulheres a assumir cargos de liderança de topo continua a ser muito reduzida, com apenas 4% das posições de CEO e de presidente do conselho de administração a serem ocupadas por mulheres, a nível global.”

Relativamente a Portugal, João Costa da Silva, Center for Corporate Governance Lead Partner da Deloitte Portugal, explica que “apesar de as mulheres representarem mais de metade do total da população e de se graduarem em maior número do que os homens, ainda são poucas as que ocupam cargos de alta direção nas empresas nacionais. No entanto, é importante realçar que Portugal está a progredir na promoção da igualdade de género nos quadros de direção das empresas. No mês passado foi promulgada a lei que estabelece a criação de quotas de género nas administrações de empresas do setor empresarial do Estado e nas empresas cotadas em Bolsa, a partir do próximo ano.”

Comentários