Aumente a sua criatividade

Num mundo extremamente competitivo, a criatividade pode jogar a seu favor e colocá-lo à frente de um mercado em constante mudança e alcançar o sucesso a longo prazo.
créditos: pixabay

Há pessoas para as quais é inato, mas para outros nem tanto. No entanto, não é nada que não se possa desenvolver ou aprimorar. Antes de mais é necessário não quebrar a regra de ouro: não copiar o que os outros fazem. As pessoas criativas irão estar sempre na vanguarda porque por mais que sejam copiados, irão sempre pensar mais além e criar algo novo e melhor. Logo, funcionam como a sua própria alavanca a longo prazo. Há estratégias simples para aumentar a sua criatividade, basta para isso que esteja disposto a absorver o que se passa à sua volta e a melhorar o seu lado criativo.

Experimente – tudo o que seja procurar e experimentar coisas novas aumenta substancialmente o seu leque de interesses e portfólio;

Padrões – trate-os como fazendo parte do problema, para assim não se tornar parte dele, isto é, deve saber reconhecer um, mas não adequar-se ao mesmo;

Hobby – por norma as pausas são bem vindas e podem conferir uma outra visão das coisas. Assim, quando nota que as suas ideias estão a ganhar vida, a incubarem, faça uma pausa, mas de preferência com algo que goste de fazer (ler, tocar, etc...). Isto fará com que o seu cérebro se coloque noutra perspetiva e o podem ajudar a ser mais inovador e criativo;

Conhecimento – um pouco como a experimentação, é necessário que expanda os seus conhecimentos. A inovação é baseada no conhecimento por isso, leia ou faça coisas que normalmente lhe passam ao lado;

Usar os sentidos – observar, cheirar, tocar, provar devem ser colocados à prova constantemente e não deixar que fiquem adormecidos. Aguçe a mente com as coisas que lhe proporcionam relaxamento e permitem que pense 'out of the box';

Problema – tornar-se-á muito mais fácil de resolver e seguir em frente após o categorizar e avaliar de forma correta. Quanto mais cedo definir o mesmo, mais depressa o resolve;

“Olhar” – tenha noção para onde os outros “olham”, para poder “olhar” para o que não está a ser visto;

Julgamento – não os faça de ânimo leve, nem de situações nem das pessoas. Prefira saber bem com o que se passa ao seu redor, em vez de formar opiniões sobre o que desconhece;

Imaginação – nada como pequenos exercícios mentais acerca dos possíveis cenários de uma ideia. Assim, vai conseguir visualizar todas as etapas do conceito a ganhar vida;

Ideias – é muito bom ter as mesmas, mas não se deixa emaranhar por elas, isto é, no início de um processo de inovação é normal que hajam bastantes. No entanto, é fulcral que pare e desligue. Só assim terá hipótese de se concentrar a 100% na parte de concretização e execução e fazer um projeto ganhar vida.

artigo do parceiro:

Comentários