Gosta de receber elogios?

Reflicta sobre a quem faz elogios e de quem os recebe

Na minha opinião, em termos da nossa cultura, como adultos, não estamos programados para receber e ou dar elogios, apesar de sentirmos necessidade desse reconhecimento e legitimação.

Apresentamos uma predisposição desmesurada para competir. Uns sentem que são vencedores e outros sentem que são uns falhados. Aqueles indivíduos com baixa auto estima, que não dão elogios, quando recebem um elogio, aparentam não legitimar e/ou reconhece-lo, como se não fossem merecedores, porque o elogio contraria as suas crenças disfuncionais sobre si próprios. Assim como aqueles indivíduos demasiado egocentristas e egoístas, que consideram que o mundo gira à sua volta, raramente fazem elogios aos outros. Necessitam de um reforço e auto-reconhecimento constante para o seu ego inflamado.

Felizmente, também existem pessoas (empáticas e resilientes) que gostam de receber e dar elogios genuínos, que visam as características da personalidade e os talentos (comportamentos) em detrimento da imagem pública.

Na realidade, quer sejamos uns vencedores e/ou uns falhados, durante os momentos em que nos sentimos negativos, quando recebemos elogios, estes podem provocar e reforçar o conflito interior (crenças pessoais). Por exemplo, se as nossas crenças reforçam que somos feios e se alguém diz que somos bonitos e/ou amorosos, sentimos o inverso. Se as nossas crenças reforçam que somos uns falhados e se alguém diz que somos inteligentes, sentimos que somos uma fraude. Se as nossas crenças reforçam que não iremos ter sucesso e se alguém diz que possuímos talento sentimos que somos uma desilusão.

Alguns sentimentos negativos e dolorosos associados às crenças negativas: vergonha tóxica, culpa, trauma, perda, falhanço, rejeição e preocupação excessiva.

Sabia que os elogios, quer seja a dar ou a receber, estão relacionados intrinsecamente com a nossa necessidade de reconhecimento, amor-próprio e auto estima.

Na página seguinte: Dicas para reforçar a importância do elogio:

Comentários