Gestão de conflitos

É normal haver divergências nos relacionamentos interpessoais mas é preciso saber geri-los

Todos nós nos debatemos com conflitos, no dia a dia, por exemplo na família, no relacionamento romântico, no trabalho, amigos, parceiros, etc. Se conseguirmos ser honestos, connosco próprios, admitimos que todos nós fugimos do conflito, assim como evitamos os sentimentos dolorosos.

A gestão dos conflitos é um tema complexo, quando duas pessoas, ou mais, entram em disputa assumindo posições individuais antagónicas. Para agravar ainda mais os conflitos interpessoais, as divergências individuais também podem assumir proporções preocupantes dada a falta de literacia emocional, vulgo, gestão construtiva de sentimentos, em especial, daquelas pessoas susceptíveis a sentimentos intensos e dolorosos: raiva, ressentimento, frustração, stress excessivo, medo, controlo.

Por exemplo, pessoas zangadas (raiva) tendem a manipular através da intimidação e da agressividade, evocam a honestidade e a frontalidade a fim de justificarem a sua intransigência. As pessoas passivas tendem a evitar, a todo o custo, o conflito, assumindo o papel da vítima e/ou do agradador/a, cedem à pressão, todavia, não revelam aquilo que sente/pensam sobre determinado assunto, são pessoas desconfiadas e imprevisíveis.

Veja na página seguinte: dicas para a gestão do conflito numa relação interpessoal

Comentários