O Mel na saúde

Conheça os benefícios do mel para a saúde

Evidências do seu uso pelo ser humano aparecem desde a Pré-História, com inúmeras referências em pinturas rupestres e em manuscritos e pinturas do antigo Egipto, Grécia, Roma e Tibete.

Hoje em dia, ele tem um grande valor nutricional, com benefícios na saúde e também na beleza. Se for consumido regularmente e aplicado topicamente na pele, através de cuidados estéticos, pode ser um poderoso aliado para uma vida de beleza e bem-estar.

O mel é um alimento de alta qualidade, rico em energia e inúmeras outras substâncias benéficas ao equilíbrio dos processos biológicos do nosso corpo, é um alimento único e dotado de inúmeras propriedades terapêuticas, sendo utilizado pela medicina popular sob diversas formas e associações e também usado na área da beleza.

Curiosidades ao longo dos tempos

Através dos séculos, o mel foi sempre considerado um produto especial, utilizado pelo Homem desde a Pré-História. Evidências da sua utilização pelo ser humano aparecem em inúmeras referências em pinturas e manuscritos do antigo Egipto, Grécia e Roma. Existem registos sobre a utilização do mel como alimento pelos Sumérios na Mesopotâmia (2300 anos antes de Cristo).

No Antigo Egipto explicava-se a origem do mel como sendo fruto das lágrimas vertidas por Rá, deus do Sol. Zeus, pai e rei dos deuses da mitologia grega, alimentava-se do mel que as abelhas colocavam sobre os seus lábios. Na antiga China, este néctar cor de ouro e símbolo da Terra, era dado ao imperador para que este encontrasse força, vigor e clarividência.

A chamada “lua-de-mel” teve a sua origem no costume romano em que a mãe da noiva deixava em cada noite, na alcova nupcial, à disposição dos recém- casados, um pote de mel para “reporem energias”.

Apiterapia

A apiterapia é definida como a utilização de produtos de abelhas com fins terapêuticos. Embora tendo uma denominação nova, esta prática tem profundas raízes na medicina tradicional de muitos povos. Há registos que relatam a prática da apicultura e o uso dos produtos apículas pelos egípcios há cinco mil anos.

Criar abelhas não se destina apenas à produção de mel, mas também à polinização agrícola, produção de própolis, pólen, geleia real e apitoxina, substâncias com efeitos benéficos a nível da saúde. Países como a Alemanha já a adoptaram como prática oficial na sua rede pública de saúde.

De maneira geral, destinam-se ao mel inúmeros efeitos benéficos em várias condições patológicas.

Saiba mais na próxima página

Mel

É um alimento, geralmente encontrado em estado líquido viscoso e açucarado, que é produzido pelas abelhas a partir do néctar recolhido das flores e processado pelas enzimas digestivas desses insectos, sendo armazenado em favos nas suas colmeias para servir-lhes de alimento durante o Inverno.

Existem vários tipos de mel e de coloração – eles variam de acordo com as flores utilizadas nesse processo, do tipo de terreno e do modo de preparação. Além de açúcares (glicose e frutose), este néctar dos deuses, de cor castanho-amarelado, é composto por:

- Vitaminas do complexo B, C, D e E

- Minerais (cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, zinco e potássio, entre outros)

- Um teor considerável de antioxidantes (flavonóides e fenólicos).

Efeitos do mel

Ao contrário do açúcar refinado, utilizado como adoçante mas que facilita o acumular de gorduras, o mel ajuda a eliminar as toxinas favorecendo a digestão. 

Consumo interno

 • Anti-reumático

• Anti-séptico

• Bactericida

• Digestivo

• Diurético

• Digestivo

• Energético

• Expectorante

• Hiperglicémico

• Previne e combate gripes e constipações

• Revigorante

• Sedativo

• Vasodilatador

Utilização externa

• Acelera a cicatrização da pele em feridas e queimaduras leves.

• Aumenta o nível de antioxidantes

• Hidrata, limpa e nutre a pele

• Liberta toxinas

• Revitaliza o cabelo, mantendo-o saudável

• Tonificante

• Rejuvenescedor de pele

Texto: Stela Martins

Fotografia: Kerastase 

artigo do parceiro:

Comentários