O "Hype" da água alcalina

Sei que este artigo irá gerar alguma polémica, mas o tema em sí é polémico. Num altura que temos tantas figuras conhecidas ligadas à saúde a defender os “milagres” da água alcalina, temos também cada vez mais referências e cientistas a dizer o oposto. Um artigo de Miguel Figueiredo.

Pela minha parte já investiguei bastante sobre o tema e continuo a achar cada vez mais que a teoria por detrás do “milagre da água alcalina” está muito mal sustentada.

A água alcalina é rara na natureza e é mesmo um fenómeno hidrológico. Se dependêssemos desta água para sermos saudáveis nunca teríamos sobrevivido como espécie. Mas, tudo o que é raro, costuma cair num aura de misticismo e são lhe conferidos poderes quase sobrenaturais.

A venda de máquinas domésticas para alcalinizar a água é um negócio de milhões. É comum ver os seus defensores públicos a dar palestras ou workshops sobre o tema, mas sempre associados a uma marca ou outra que vende estas máquinas. Os defensores (às vezes fanáticos) da água alcalina acreditam de que os seus poderes são imensos e defendem-na veementemente, por vezes com base em ciência “ingénua”. Quando tentamos entender a qualidade de uma água não devemos apenas olhar para a sua alcalinidade. De facto, muitas das melhores águas sejam ligeiramente alcalinas, mas a sua qualidade é determinada por muito mais que apenas o valor do pH.

Algumas pessoas experimentam um benefício inicial quando começam a beber água alcalina. Isso pode ser facilmente atribuído à destoxificação e o fato de que, provavelmente, essa pessoa está melhor hidratada. Acredito que a destoxificação e hidratação são as únicas vantagens deste tipo de água. Estes benefícios são limitados pois esta só deve ser utilizada poucos dias (não mais do que uma ou duas semanas).

Agora a ideia de que beber água alcalina irá alterar, por exemplo, o Ph do sangue (entre 7,36 e 7,42) é absolutamente ridículo.

O corpo tem sistemas tampão que, independentemente do que possamos comer e beber, garante que o intervalo de Ph sangúneo nunca saia desse intervalo. Um pequena variação de 1,0 pode levar à morte imediata. Mais ainda, o nosso corpo necessita de vários níveis de acidez/alcalinidade para funcionar. O estômago necessita de um Ph entre 2 e 3 (ácido) e o intestino delgado de 6 a 7,4 (de ácido a neutro). O líquido intracelular cerca de 6,8 e o extracelular de 7,4 (de ácido a neutro). Então quando estamos a “alcalinizar” o organismo não estamos a alcalinizar também o que deveria permanecer ácido? Não é necessário ser nenhum bioqúimico para perceber a falha nesta lógica. Alcalina ou acídica ?

Para além da filtragem de água, há também a questão do pH, ou seja água alcalina versus água ácida. Atualmente há algumas alegações de saúde surpreendentes e milagrosas sobre a água alcalina, mas será que têm fundamentação científica sólida?

Comentários