A infeção por Clostridium difficile na Europa: a importância do estudo EUCLID

A infeção por Clostridium difficile (ICD) ocorre por exposição dos indivíduos a um ambiente contaminado com esporos desta bactéria. Os esporos ingeridos vão germinar e multiplicar-se no intestino humano, sobretudo se a microbiota intestinal se encontrar desequilibrada devido à toma recente de antibióticos. Os sintomas desta infeção vão desde diarreia ligeira, auto-limitada, até complicações severas do cólon, que poderão conduzir à morte do doente.
créditos: AFP/ERIC CABANIS

Na última década, a ICD emergiu como uma das principias infeções associadas à prestação de cuidados de saúde no mundo ocidental, representando um enorme fardo económico para os sistemas de saúde. O aumento de infeções por esta bactéria deveu-se sobretudo à emergência de estirpes epidémicas que reúnem uma maior virulência e resistência aos antibióticos, contribuindo não só para a sua rápida disseminação, bem como para a severidade e mortalidade do quadro clínico associado.

Também o envelhecimento da população, com exposição frequente a antibióticos de largo espetro, presença de comorbilidades e hospitalizações prévias, tem contribuído para o aumento de casos de ICD.

Apesar da crescente relevância da ICD, dados recentes (2008) relativos à vigilância epidemiológica desta infeção na Europa mostraram uma enorme variação nas taxas de incidência em diferentes países (0, 0 a 36,3 casos por 10 000 dias de internamento), sendo a taxa média de 4,1.

Estas discrepâncias gritantes motivaram a realização do maior estudo europeu de prevalência da infeção hospitalar pela bactéria C. difficile, o estudo EUCLID (EUropean, multi-centre, prospective bi-annual point prevalence study of CLostridium difficile Infection in hospitalised patients with Diarrhoea). Este estudo inovador teve a participação de 20 países, num total de 482 hospitais, incluindo 11 de Portugal Continental.

Este estudo inovador teve várias conclusões muito importantes, que sem dúvida produziram impacto no modo como a ICD é atualmente abordada. O primeiro dado que o estudo mostrou é que a incidência de ICD aumentou na Europa, de uma média de 4,1 casos para 7,0 casos por 10 000 dias de internamento.

Comentários