Intolerâncias alimentares

Para conhecer as suas intolerâncias alimentares existe um teste inovador que analisa 520 alimentos

O teste de intolerâncias alimentares permite despistar todos os alimentos que dificultam o emagrecimento, que causam perturbações digestivas e cuja eliminação da dieta evita patologias gastro-intestinais de maior gravidade e evolução crónica, como cólon irritável, sintomatologia mais frequente associada aos casos de intolerância alimentar.

É fundamental distinguir alergia aos alimentos e intolerância alimentar, já que são conceitos com manifestações clínicas totalmente diferentes. A intolerância alimentar é uma resposta adversa e retardada do organismo à ingestão de determinados alimentos. Geralmente é uma resposta, lenta, silenciosa e sem manifestações visíveis imediatas após a ingestão desses alimentos, mas de carácter insidioso. Os sintomas podem levar desde horas até dias a aparecerem, o que dificilmente leva a uma associação de causa-efeito, ao contrário do que se passa num processo de alergia em que os sistomas são imediatos e por isso fáceis de relacionar com o alimento  em questão.         

Duas situações distintas provocam intolerâncias alimentares:

- A falta de enzimas necessárias para a digestão dos nutrientes que compõem um alimento;

- A ingestão excessiva e continuada de um alimento. 

Os alimentos que mais habitualmente estão associados ao aparecimento de intolerâncias alimentares são os cereais que contêm glúten (trigo, centeio, cevada, aveia, espelta, kamut), crustáceos, moluscos e peixes, frutos de casca rija, leite e produtos à base de leite, tremoços, espinafres, sementes de sésamo, etc.

A lactose é o açúcar do leite e estima-se que cerca de 70% dos adultos são incapazes de a digerir por não produzirem a enzima que a digere, a lactase.

As condições clínicas que se podem relacionar com processos de intolerância alimentar e em que a supressão da ingestão do alimento provoca uma melhoria evidente são as seguintes:

-Excesso de peso, celulite e retenção de líquidos: Nas pessoas obesas que respondem mal aos tratamentos habituais de emagrecimento, verifica-se uma acentuada diminuição de peso com a retirada dos alimentos não recomendados.

-Perturbações gastrointestinais: dores abdominais, cólicas, flatulência, obstipação ou diarreia, sensação de enfartamento e colon irritável.

-Problemas dermatológicos: acne, eczema, psoríase, urticária e prurido.

Transtornos psicológicos: ansiedade, fadiga, depressão, hiperactividade (nas crianças) e náuseas.

-Problemas neurológicos: cefaleias, enxaquecas, tonturas e vertigens.

-Perturbações respiratórias: asma e rinite.

Esta é uma inovadora técnica através de bioressonância. São enviados estímulos ao cérebro através de dois meridianos ou terminais nervosos situados na ponta de dois dedos e na consequente quantificação da energia de cada alimento, também chamada de frequência vibracional. A análise é repetida da mesma forma, até serem “visitados” os 32 grupos de diagnóstico que englobam os 520 alimentos testados.

Interpretação do teste

A duração do exame varia entre uma hora a uma hora e meia, e o resultado é obtido através de um gráfico como o que se pode ver abaixo, cuja leitura funciona um pouco como um semáforo. Os grupos de alimentos ilustrados a verde são aqueles a que apresentamos uma alta tolerância e os ilustrados a vermelho devem ser retirados de imediato da nossa dieta durante um período de tempo consoante a gravidade dos casos.

Teste de intolerância alimentar

Comentários