Hortelã-pimenta

Saiba tudo sobre esta planta com um sabor inconfundível

A hortelã-pimenta é uma planta herbácea,
vivaz, rasteira
(0,30-0,40 cm), que em
alguns casos pode atingir entre 60 a 70 cm
de altura. Tem folhas macias, de forma
lanceolada e verde-escuras.

Os seus rizomas
são grossos, tenros e arroxeados.
As flores são agrupadas e de cor
purpúrea e aparecem no Verão.

Na culinária, pelo seu sabor picante
e refrescante, é utilizada para
aromatizar doces, pastilhas, chocolates, bebidas e gelados. É também usada para problemas de
indigestão (estomacais), constipações
e febres (antivirais), doenças fúngicas
(antifungicas) , insónias, dores de
cabeça, dores de dentes, mau hálito e
catarro.

O seu óleo essencial é utilizado para
aliviar a comichão e como insecticida.
A água de menta também é utilizada
em loções e para lavagem do rosto.
A essência desta planta ainda é utilizada
no fabrico de pastas de dentes, de cremes hidratantes e de
sabonetes e outros produtos de higiene.

Factos históricos

O nome genérico
desta planta deriva da ninfa grega
Mintha, que apaixonada por Zeus,
foi transformada pela sua rival numa
planta. O nome piperita, quer dizer
pimenta (piper), devido ao sabor picante
da sua essência. O professor romano Plínio, colocou esta erva na sua lista
de ervas afrodisíacas, pois segundo
ele o cheiro reanimava o espírito.

Os antigos gregos utilizaram esta
erva em vários tratamentos e rituais
para curar problemas da voz, cólicas,
vertigens, problemas urinários e no
combate a venenos de cobras
e escorpiões.

Condições ambientais

Gosta de solos areno-argilosos,
francos com boa quantidade de
matéria orgânica e calcário. Devem
ser profundos, ligeiramente húmidos,
permeáveis e com pH entre 6-7,5. Trata-se de uma
cultura que gosta de zonas húmidas
e nestas condições pode tornar-se
invasora. Não necessita de grandes
cuidados, por isso recomendo o cultivo
desta aromática para os agricultores de
fim-de-semana.

Quando colher

Um pouco antes
da floração entre Junho-Setembro
(para a obtenção de óleo essencial).
Para as folhas, podem ser feitos dois
cortes anuais.

Texto: Pedro Rau (engenheiro hortofrutícola)

Comentários