Especial “Marmita”

Atualmente, para a grande maioria dos portugueses, não há carteira que resista a refeições fora todos os dias.

Muito já deu que falar a moda da “marmita”, que deixou de ser uma tendência para passar a ser um hábito já incutido nas nossas vidas. Aliás, as próprias empresas, com ou sem refeitório, acabaram por adaptar-se aos tempos, disponibilizando microondas para que os seus funcionários possam aquecer a comida que levam de casa.

A título de curiosidade, já deve ter reparado que esta moda abriu janelas de oportunidades para negócios de caixas e caixinhas, talheres coloridos e lancheiras que mais parecem de alta-costura… com preços e cores para todos os gostos.

A verdade é que levar as refeições de casa é uma atitude não só aconselhável como também inteligente:

- Se fizermos as contas a uma média de 6 euros por refeição, a poupança pode rondar os 150 euros por mês.

- Se for lanchar a um café ou pastelaria, fazendo as contas a 3 euros por lanche, dificilmente gastará por mês menos de 60 euros.

Por isso, quando estiver a preparar a comida para levar para o trabalho, contemple também algo para as refeições intermédias e ainda um ou outro snack para andar no carro.

A moda da marmita pode ter tido origem em questões económicas. Mas felizmente veio permitir juntar à vantagem da poupança os benefícios em matéria de saúde. Regra geral, uma refeição cozinhada em casa é mais saudável, em termos de sal, das gorduras processadas e da quantidade que se ingere. E as sopas, costumam ser iguais às que faz lá em casa? Não, pois não?!

Além disso, basta pensar que num restaurante onde o almoço custe 5 ou 6 euros, a qualidade dos alimentos dificilmente será a melhor – naturalmente os restaurantes tentam obter o maior rendimento com o menor custo.

Por todas as razões e mais alguma, se ainda não pertence ao clube dos “marmiteiros”, adira a esta onda!…

Ganhe em dinheiro e em saúde e perca em quilos.

Iara Rodrigues

Directora do Departamento de Nutrição WHITE

artigo do parceiro:

Comentários