A importância do pequeno-almoço

Deve ser completo, variado e equilibrado, combinando todos os nutrientes necessários ao organismo
O pequeno-almoço é a primeira refeição dia, que quebra o jejum depois do período de sono. Durante o sono os nossos níveis energéticos baixam e são apenas utilizados para a manutenção das funções básicas do organismo, pelo que é de extrema importância nunca omitir esta refeição para repor estes níveis e assim melhorar o rendimento cognitivo e concentração, evitar a fraqueza ao final da manhã e reduzir o apetite para o almoço, contribuindo para uma distribuição alimentar e calórica mais saudável e equilibrada ao longo do dia.



Quem nunca sentiu suores frios, sensação de desmaio, mal-estar e má-disposição geral, impaciência, dores de cabeça durante o período da manhã?



Poderemos estar presentes perante algumas das consequências da supressão do pequeno-almoço. A falta de tempo é desfavorável à realização de um pequeno-almoço tranquilo que permita apreciar os sabores. Atualmente, a grande diversidade de produtos alimentares fáceis de utilizar e confeccionar existentes no mercado não justifica o prolongamento do “jejum noturno” por mais horas, em alguns casos até hora do almoço.



É fundamental criar o hábito matinal de reservar cinco minutos da agenda diária para esta refeição. Quem não tem apetite ou não consegue comer logo após acordar, não deve forçar. É aconselhável estimular gradualmente o apetite em dias ou semanas consecutivas, começando por alimentos leves, a gosto e em pequenas quantidades, aumentando-as gradualmente.



Para obter o máximo potencial dos benefícios do pequeno-almoço, o mesmo deve ser completo, variado e equilibrado, combinando todos os nutrientes necessários ao nosso organismo. Este deverá corresponder a cerca de 20-25% da energia total do nosso dia e ser rico em hidratos de carbono complexos, rico em proteínas e com baixo teor de gorduras.



Nesta refeição deve obrigatoriamente fazer parte determinados grupos alimentares como a fruta fresca da época, o pão escuro e flocos de cereais pouco açucarados, o leite ou iogurte, sem esquecer a imprescindível água ao iniciar o dia.



Todos beneficiamos em tomar o pequeno-almoço. Dado o período rápido de crescimento e desenvolvimento, as crianças e adolescentes não devem ser privadas desta refeição, torna-se imprescindível para a melhoria da sua capacidade cognitiva e de concentração nas aulas.



Um desportista necessitará de aumentar o seu rendimento físico, assim como qualquer tipo de trabalhador que precisará de aumentar a sua capacidade de resposta, de evitar a fraqueza matinal e aumentar os seus níveis energéticos logo pela manhã. Existem mesmo alguns estudos que referem uma maior propensão para acidentes de trabalho, de viação ou domésticos, durante o período da manhã, para indivíduos que não tomam o pequeno-almoço.



O pequeno-almoço, tal como qualquer refeição, deve ser ajustado às necessidades individuais e ter em conta os factores diferenciados de cada indivíduo, como a idade, sexo, a prática de actividade física, etc.

Comentários