A alimentação na prevenção das doenças cardiovasculares

As regras alimentares que desempenham um papel protetor
Sabemos hoje que existem vários fatores implicados no aparecimento das doenças cardiovasculares, como o excesso de gorduras do sangue (dislipidemias), hipertensão arterial (HTA), diabetes mellitus, obesidade e a alimentação. O tabaco e a falta de uma prática regular de exercício físico, assim como o stress, são também decisivos.



A alimentação desempenha um papel fundamental: como fator de risco quando desequilibrada e como fator de proteção e prevenção quando adequada às necessidades de cada indivíduo.



Sabemos que existem regras alimentares que desempenham um papel protetor das doenças cardiovasculares, como por exemplo:



a) Alimentação equilibrada e muito variada tendo em conta as recomendações da Nova Roda dos Alimentos Portugueses.



b) Consumo adequado de alimentos dos grupos dos legumes, hortaliças e frutos, devido à sua riqueza em fibras alimentares, vitaminas (especialmente vitamina C, B e A) e minerais como o selénio, que devido ao seu potencial antioxidante desempenham um papel fundamental na prevenção da aterosclerose.



c) Preferir peixe à carne. Mesmo os peixes gordos. A riqueza em ácidos gordos polinsaturados da série ómega 3 tornam os peixes um alimento importante na proteção cardiovascular.



d) Os frutos oleaginosos (nozes, avelãs, amêndoa…) são também importantes dada a sua riqueza em vitamina E, uma vitamina de elevada capacidade antioxidante.



e) Restringir o consumo de calorias totais (adequar a energia consumida às necessidades reais e à atividade física).



f) Reduzir o consumo de gorduras saturadas, colesterol veiculado pelos alimentos.



g) Reduzir ou retirar da alimentação bebidas alcoólicas, sal e café.



h) Preferir preparados culinários mais saudáveis como cozidos, cozidos a vapor, assados e grelhados.



i) Evitar fritos, refugados e partículas queimadas resultantes da confeção dos alimentos (nomeadamente assados no forno e grelhados).



j) Fazer 5 ou 6 refeições diárias distribuindo assim as calorias ingeridas de forma harmoniosa, tendo o cuidado de comer calmamente mastigando e insalivando bem os alimentos.

k) Adotar hábitos saudáveis como: andar a pé diariamente 1hora (10000 passos/dia), praticar desporto adaptado às limitações de cada um, não fumar, ingerir uma boa quantidade de água por dia (1.5 a 2 litros), reduzir a ansiedade e o stress, tentar viver de forma calma e despreocupada.

Por Nuno S. S. Nunes, Nutricionista -Assistente Principal Nutrição do Conselho Hospitalar de Setúbal e Clínica S. João de Deus

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários