Vírus da Sida está a tornar-se menos agressivo e menos infeccioso

Um estudo científico da Universidade Oxford revela que o vírus está a mudar e a tornar-se menos letal, o que pode facilitar os esforços mundiais no combate à Sida.
créditos: EPA/PIYAL ADHIKARY

Um estudo agora publicado indica que o vírus responsável pela Sida está a evoluir e a tornar-se menos infeccioso e menos mortal. As descobertas da equipa da Universidade de Oxford, publicadas na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, mostram que o vírus está a sofrer modificações que podem ajudar no combate à doença.

Segundo os cientistas, atualmente demora mais tempo para uma infeção pelo VIH causar Sida, isto devido às alterações do vírus. Alguns virologistas sugerem que, se o vírus continuar a evoluir desta forma, poderá tornar-se "quase inofensivo".

Porém, o grupo alerta que mesmo uma versão enfraquecida do VIH continua a ser perigosa e pode causar Sida. Mais de 35 milhões de pessoas no mundo estão infetadas com VIH, o vírus conhecido por "mestre do disfarce", já que se transforma para se adaptar ao sistema imunitário.

"[Nestes casos] o vírus pode perder a eficácia ou modificar-se para sobreviver e, se tiver que mudar, terá um custo", começa por explicar o professor Philip Goulder, da Universidade de Oxford, citado pela BBC.

Esse "custo" é uma diminuição na capacidade de se replicar, o que faz com que o vírus se torne menos infeccioso e leve mais tempo para causar a doença.

Comentários