Uma colonoscopia a cada 10 anos evitaria 40% dos casos de cancro colorretal

Cancro colorretal mata 1,2 milhões de pessoas por ano em todo o mundo
19 de setembro de 2013 - 16h46
Uma colonoscopia a cada 10 anos a partir dos 50 anos de idade permitiria evitar 40% dos casos de cancro colorretal, segundo um estudo realizado nos Estados Unidos, que confirma a eficácia do exame para prevenir a doença.
A frequência da revisão deve ser maior no caso de antecedentes familiares cancro, responsável por 1,2 milhão de mortes por ano em todo o mundo, informam os autores do estudo, publicado no New England Journal of Medicine.
Os resultados confirmam as atuais recomendações, que aconselham a realização de uma colonoscopia a cada 10 anos para os pacientes com risco moderado. Este exame é eficaz para prevenir o cancro da parte superior do cólon ou proximal.
"A colonoscopia é o exame de diagnóstico mais realizado nos Estados Unidos, mas até agora não havia evidência suficiente para determinar quanto reduz o risco do cancro de cólon proximal e a frequência com a qual este procedimento deve ser feito", explicou Shuji Ogino, epidemiologista da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, principal autor do estudo.
"O nosso estudo proporciona fortes evidências de que a colonoscopia é uma técnica eficaz para prevenir o cancro do colon distal - próximo do reto - e proximal, enquanto a proctosigmoidoscopia é insuficiente para prevenir o cancro do cólon proximal".
A proctosigmoidoscopia é um exame que se limita à parte inferior do cólon, enquanto a colonoscopia examina a totalidade, com ajuda de um tubo flexível munido com uma câmera e instrumentos que permitem remover cistos e tumores benignos.

SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários