Um em cada dez portugueses sofre de ansiedade

A ansiedade é a doença mental mais prevalente na população portuguesa, afetando 16,5 por cento das pessoas, segundo um estudo epidemiológico nacional da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

Sensação de medo - Quando a ansiedade é acompanhada por uma dor ou desconforto na zona do peito, tal pode estar relacionado com doença coronária. Consulte um cardiologista para uma avaliação mais aprofundada, especialmente se tem um histórico familiar de doença coronária, morte prematura, se é fumador ou se sofre de pressão alta.

Trata-se de uma reação normal do nosso organismo, ativada em situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. Apesar de natural, deve ser uma situação passageira. Quando a ansiedade se torna crónica passa a ser considerada uma doença mental.

Portugal é um dos países da Europa em que maior percentagem da população sofre de patologias do espectro da ansiedade. Esta patologia pode manifestar-se de inúmeras formas e muitas das suas manifestações inteferem de forma grave com a qualidade de vida.

“Quando a ansiedade atinge níveis de grande intensidade significa que a pessoa está doente, interferindo de forma definitiva na vida quer na esfera emocional e familiar, quer na esfera profissional e social”, explica Filipa Palha, psicóloga e presidente da Associação Encontrar+se. “Estas alterações prolongadas de comportamento significam que a pessoa está doente e precisa de ser tratada”, refere a especialista.

Sintomas físicos

As perturbações de ansiedade podem ter sintomas físicos, como taquicardia, dores no peito e dificuldade em respirar, levando o doente a ter comporamentos hipocondríacos, levar a insegurança na execução de tarefas rotineiras,  ou pode manifestar-se em resposta a um estímulo em específico, como é o caso das fobias.

Ver artigo completo

Comentários