Tuberculose matou 1,5 milhões de pessoas em 2013

A batalha contra a tuberculose teve importantes avanços que permitiram salvar 37 milhões de vidas entre 2000 e 2013, mas a guerra ainda não foi vencida, segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde.
créditos: AFP PHOTO/Chandan KHANNA

Mais de 20 anos após ter sido declarado a tuberculose como "urgência de saúde pública mundial", a Organização Mundial da Saúde (OMS) ressalta no seu relatório anual, publicado na quarta-feira, "progressos importantes realizados" nos últimos anos no combate à doença.

Contudo, a tuberculose continua a ser a segunda doença infecciosa mais mortal no mundo, atrás apenas da Sida.

Em 2013, registaram-se nove milhões de novos casos de tuberculose e 1,5 milhões de mortes, contra 1,6 milhõesde vítimas mortais ligadas à Sida  em 2012.

Os números de 2013 são ligeiramente mais elevados do que em 2012 (8,6 milhões de novos casos e 1,2 milhões de mortes), devido à inclusão dos primeiros números detalhados da Nigéria, o país mais populoso do continente africano.

"Uma vez que a maioria das mortes por tuberculose é evitável, o número de vítimas ainda é inaceitavelmente alto", observa a OMS, que insiste na necessidade de acelerar os esforços para alcançar os objetivos do plano "Fim da tuberculose" 2006-2015.

A OMS estabeleceu uma meta de redução para metade da taxa de mortalidade da tuberculose e da taxa de prevalência da doença em 2015.

A taxa de mortalidade caiu globalmente cerca de 45% desde 1990, enquanto a taxa de prevalência baixou 41%, segundo o relatório.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários