Trabalhadores do INEM esperam conclusão célere do processo contra o presidente

A Comissão de Trabalhadores do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) afirmou hoje esperar uma “conclusão célere” do processo que culminou com a suspensão do presidente daquele organismo, Paulo Amado Campos, para o "regresso à tranquilidade”.
créditos: TIAGO PETINGA/LUSA

“Esperamos agora uma conclusão célere deste processo, por forma a dar como encerrado este lamentável capítulo na vida do INEM, para que se possa voltar à normal e necessária tranquilidade”, refere, em comunicado enviado à agência Lusa, a Comissão de Trabalhadores do INEM.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, instaurou um processo disciplinar ao presidente do INEM, com suspensão temporária de funções.

Paulo Macedo seguiu a recomendação da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde, que recomendou a instauração de um processo disciplinar ao presidente do INEM, na sequência da intervenção deste na transferência de uma amiga doente de Cascais para Abrantes, em helicóptero do instituto, em janeiro deste ano.

Paulo Campos considera que “todo o processo radica numa mentira ignóbil” e afirma que isso a “seu tempo ficará provado”.

Para a Comissão de Trabalhadores do INEM, “estando instaladas suspeitas” sobre Paulo Campo, era necessário “tomar uma decisão em conformidade, que defendesse tanto o supremo interesse público como a estabilidade e credibilidade do INEM e dos seus profissionais”.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários