Solidão é tão mortal como a obesidade ou a droga

A forma como socializamos (ou não) tem um forte impacto na esperança média de vida, revela um novo estudo.

A solidão pode ser tão mortal como a obesidade ou o abuso de drogas. Foi esta a conclusão de investigadores norte-americanos depois de analisarem 70 estudos diferentes que inquiriram mais de três milhões de pessoas sobre as suas práticas de socialização.

Os dados em análise permitiram concluir que a solidão aumenta em 26% o risco de morte de uma pessoa, enquanto o isolamento eleva esse risco para 29%.

Já o facto de alguém viver sozinho também é preocupante: o risco de morte sobe 32%.

Esse risco acrescido de morte na solidão equipara-se ao da obesidade, abuso de estupefacientes, desordens de foro mental e violência, relata o mesmo estudo.

"Com a solidão a aumentar, prevemos que haja uma epidemia de solidão no futuro", comenta Tim Smith, um dos autores do estudo.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários