Sobe para 14 o número de pessoas isoladas em Madrid devido ao Ébola

O número de pessoas isoladas em observação em dois andares do Hospital Carlos III em Madrid, no âmbito do protocolo de prevenção do Ébola, aumentou para 14, confirma fonte hospitalar.

Há um caso confirmado de infeção, o da auxiliar de enfermagem Teresa Romero Ramos, um “caso em investigação” e 12 casos considerados “contactos de risco”.

Todos estão isolados em quartos no 5º e no 6º andar do Hospital Carlos III.

O número total aumentou com a entrada no hospital, durante a noite de quinta-feira, de cinco homens e duas mulheres, tendo sido dada alta a um enfermeiro, também nas últimas horas, depois de as suas análises terem sido negativas.

Todos os casos, exceto o da mulher infetada, estão assintomáticos, segundo as mesmas fontes.

O “caso em investigação” é o de uma enfermeira, que teve já uma primeira análise negativa e espera ainda a segunda, que é realizada normalmente 72 horas após a primeira.

Nos casos de “contactos de risco”, que se encontram sob “vigilância ativa”, estão o marido de Teresa Romero, cinco outros homens - três médicos, um enfermeiro e um funcionário sanitário - e seis mulheres - duas médicas, duas enfermeiras e duas cabeleireiras.

Estas últimas, que entraram durante a noite, estão sob observação porque depilaram a paciente infetada, segundo fontes hospitalares.

Para já não há informação adicional sobre o estado de saúde de Teresa Romero Ramos, cuja condição se tinha agravado na manhã de quinta-feira.

Auxiliar infetada pediu sigilo sobre o seu estado de saúde

Fonte hospitalar confirmou à Lusa essa informação, na quinta-feira, recordando que Teresa Romero Ramos pediu expressamente que nenhum dado preciso sobre o seu estado de saúde fosse comunicado publicamente.

A informação para já disponível - quando ainda não está concluída a investigação sobre as circunstâncias da infeção - sugere que uma cadeia de erros terá permitido o contágio da auxiliar de enfermagem.

Comentários