Salário dos médicos do sistema público da Venezuela aumentado em 75 por cento

Sindicatos exigiram melhor remuneração e denunciaram falta de equipamentos nas unidades
10 de setembro de 2013 - 10h16



O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou esta segunda-feira um aumento de 75% nos salários dos médicos do sistema público, que será feito em duas etapas.



Nas últimas semana, os sindicatos do setor exigiram melhor remuneração e denunciaram a falta de equipamentos nas unidades públicas.



"Decidimos aprovar um aumento de 75% do salário dos médicos e médicas do sistema público do país", disse o presidente, em visita a um hospital na cidade de Barquisimeto, transmitida pela televisão oficial.



Maduro, que estava acompanhado da ministra da Saúde, Isabel Iturria, disse que o objetivo é "fortalecer a qualidade de vida e de trabalho" dos 57 mil médicos do sistema público.



O aumento salarial será aplicado em suas fases: 50% serão pagos em setembro e os 25% restantes a partir de janeiro de 2014.



"São grandes quantias que estamos aprovando, mas é um investimento para a saúde do povo", acrescentou Maduro, garantindo que também serão reajustados prémios e outros benefícios.



Segundo a Federação Médica Venezuelana (FMV), um médico público recém-formado recebe, em média, 3.200 bolívares (507 dólares, quase seis vezes abaixo do pago no privado). Já um especialista ganha pelo menos 5.800 bolívares (900 dólares).



Maduro também anunciou a criação de um Estado-Maior da Saúde, presidido pelo vice-presidente Jorge Arreaza, cuja tarefa será coordenar a política nacional no setor e o lançamento de missões para restaurar e reorganizar hospitais em deterioração em alguns estados.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários