Reoganização hospitalar revela "evolução positiva" nos indicadores do Baixo Vouga

Taxa de mortalidade diminuiu em várias áreas das unidades hospitalares

23 de junho de 2014 - 13h33

O último relatório do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), elaborado pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), regista "uma evolução positiva" dos diferentes indicadores do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, revelou hoje a administração.

Comentando os resultados publicados, que dizem respeito exclusivamente à Excelência Clínica, o conselho de administração realça que o Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) “preenche os requisitos de elevada qualidade exigidos", tendo melhorado os indicadores, "o que reforça a estratégia que está a ser seguida".

No Serviço de Medicina Física e Reabilitação a reorganização foi direcionada para o doente agudo, grave e crónico internado, que se traduziu no aumento do número de doentes de AVC internados que são avaliados por fisiatria, "colocando neste relatório o CHBV claramente acima da média nacional".

Na área da Cardiologia e nomeadamente nos enfartes agudos do miocárdio, "o indicador da mortalidade hospitalar sofreu uma enorme diminuição, situando-se significativamente abaixo da média nacional".

Segundo a administração do CHBV, tal deve-se a alterações introduzidas ao nível da organização na área do doente crítico, desde o pré-hospitalar (VMER - Viatura Médica de Emergência e Reanimação e SIV - ambulâncias de Suporte Imediato de Vida) até ao atendimento hospitalar urgente e diferenciado, permitindo o tratamento do doente numa fase mais precoce".

Para esse facto contribuiu também "a SIV criada pelo conselho de administração em 2012, que soma o maior número de atendimentos por dia da zona centro".

A administração refere ainda que a alteração organizacional da Urgência Básica do Hospital de Águeda "levou à diminuição do tempo de permanência do doente grave, e consequentemente a transferência de forma segura, utilizando a SIV para a Urgência Médico-Cirúrgica de Aveiro, onde estão os cuidados diferenciados de Cardiologia".

Na Ortopedia, o CHBV está "em contraciclo com a subida da média nacional da mortalidade de doentes com a fratura proximal do fémur, diminuindo a sua taxa de mortalidade", o que a administração relaciona com a reorganização dos blocos operatórios, destinando o da Unidade de Aveiro à prática cirúrgica diferenciada.

Por último, é sublinhado que a Cirurgia de Ambulatório, realizada nas unidades hospitalares de Águeda e Estarreja, mantém a classificação máxima no "rating" do SINAS, o que "continua a demonstrar a sua elevada qualidade e a ser uma referência a nível nacional".

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários