Remodelação de centro de saúde obriga à transferência da unidade para pré-fabricado

A remodelação do centro de saúde de Viana do Castelo, orçada em mais de 300 mil euros, obrigará à transferência daquele serviço para pré-fabricados que começam a funcionar na semana passada, anunciou a Unidade Local de Saúde do Alto Minho.
créditos: Lusa

O presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Frankelin Ramos, explicou que a empreitada, orçada em 311.477 euros "vai ter início na segunda-feira e terminará em dezembro, no rés-do-chão e primeiro andar do edifício", situado em pleno centro da cidade. Adiantou que aquele serviço serve 9.199 utentes.

Em comunicado, a ULSAM explicou que "todos os serviços prestados naqueles dois pisos são transferidos, a partir de segunda-feira para pré-fabricados, instalados no jardim do antigo edifício do Serviço de Luta Antituberculosa (SLAT)”.

Segundo a ULSAM, "o horário de atendimento vai manter-se, das 08h00 às 20h00, todos os dias úteis, assim como o atendimento complementar em prolongamento de horário, aos sábados, domingos e feriados ". Apesar da intervenção, a Unidade de Saúde Familiar (USF) Tiago de Almeida, localizada no segundo piso do mesmo edifício, vai manter-se em funcionamento durante o período das obras, estando garantidas as condições de acessibilidade".

A ULSAM é constituída por dois hospitais, o de Santa Luzia em Viana do Castelo e o hospital Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima. Integra ainda 13 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, servindo uma população residente superior a 250 mil pessoas. No total a ULSAM emprega mais de 2.500 profissionais, entre eles, 501 médicos e 892 enfermeiros.

Veja ainda: Sabe mesmo quantas vezes deve ir ao médico?

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários