Relatório europeu dá nota "excelente” a 468 praias em Portugal

Maioria das praias europeias cumpre requisitos mínimos de qualidade, indica relatório
27 de maio de 2014 - 11h22



A qualidade da água de praias, rios e lagos europeus cumpria em 2013 os requisitos mínimos em 94,7% dos casos, comportamento seguido na maioria das 543 praias portuguesas analisadas no relatório da Agência Europeia do Ambiente hoje divulgado.



O nível "excelente" foi encontrado em 82,6% das praias, enquanto apenas 2% foram consideradas "medíocres". A percentagem de estâncias que cumpriram os requisitos mínimos em 2013 manteve-se idêntica à de 2012, mas a classificação de "excelente" aumentou de 79% para 83% dos casos.



Em destaque estão as estâncias balneares de Chipre e do Luxemburgo, todas consideradas "excelentes", seguindo-se Malta (com 99% com a classificação de "excelente"), a Croácia (95%) e a Grécia (93%).



No outro extremo da escala, os Estados-Membros da União Europeia com a maior percentagem de estâncias com águas em estado "medíocre" foram Estónia (6%), Holanda (5%), Bélgica (4%), França (3%), Espanha (3%) e Irlanda (3%).



Portugal coloca quase 500 praias na lista



Em Portugal, as praias com nota "excelente" são 468 e na lista a Agência Europeia do Ambiente (AEA) apresenta dois casos de qualidade "medíocre": as praias fluviais de Prado Faial, em Viana do Castelo, e de Navarra, em Braga. Há ainda 23 situações em que não foi possível obter a classificação.



A AEA refere que durante a época balnear do ano passado houve alguns casos de "encerramento" devido a episódios de poluição de curto prazo justificados por situações de chuva intensa que causaram contaminação das águas.



A contaminação microbiológica deveu-se a "descargas ilegais de águas residuais para rios" e são apontadas outras causas como as "descargas acidentais de sistemas de tratamento de águas residuais domésticas e urbanas", refere a AEA.



Segundo a Agência, "quando foram detetados os incidentes de poluição, as autoridades locais avançaram com medidas como o controlo das descargas ilegais e tratamento das áreas contaminadas".

Comentários